Achada ‘aranha’ com pernas medindo 33 centímetros de comprimento

 

Pernas compridas com 33 cm

GIGANTESCA ENVERGADURA

Do blog ECOnsciência

Para nós, leigos, certos achados biológicos só têm graça quando nos projetamos nas características dos animais estudados.

É o caso do tronco de uma minúsculo ser parecido com uma aranha que mede 1 cm de comprimento mas inacreditáveis 33 cm de uma ponta à outra das patas.

Traçando um hipotético paralelo com o corpo humano médio, seria possível imaginar uma envergadura equivalente a 33 metros.

O bacana neste delírio é a maravilhosa estrutura mecânica criada pela Natureza para dar suporte e mobilidade a braços tão longos.

Piração? Enfim… uma espécie ainda desconhecida de opilião, com pernas incrivelmente longas, foi encontrada em uma caverna do Laos.

Opiliões são invertebrados de 8 pernas da classe Arachnida. Ao contrário das aranhas, eles não tecem teias e não possuem veneno.

Opilião com 33 cm de pernas

O bicho foi coletado por Peter Jager, do Senckenberg Research Institute, durante as filmagens para uma série de TV na província de Khammouan.

De acordo com Jager, a amostra ainda precisa ser identificada para saber qual espécie se trata.

Ele queria batizá-la com um nome científico, mas a brasileira Ana Lúcia Tourinho, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, sugeriu que a espécie pode ser do gênero Gagrella.

Espécies de artrópodes com crescimento exagerado são frequentemente encontradas em sistemas de cavernas.

“Que mecanismos ou quais os fatores que são responsáveis por essa frequência de gigantismo ainda é algo incerto”, diz Jager.

Felizmente parece existir uma limitação em torno do crescimento; talvez por problemas no fornecimento de oxigênio.

Com Jornal Ciência

2 comentários em “Achada ‘aranha’ com pernas medindo 33 centímetros de comprimento

  • 18 de maio de 2019 em 19:57
    Permalink

    Filmei exemplar com as mesmas características da foto acima em Iguape, litoral sul – SP, neste verão. Chama a atenção a envergadura das patas, realmente muito longas em relação ao corpo que aparentemente sem abdomem (cefalópode?) a torna exótica; estava ao ar livre numa instalação da Sabesp. Foram duas observações: a primeira no lado externo da construção aparentemente pouco menor que o segundo exemplar filmado dentro de outra instalação no mesmo terreno… o dia estava bem quente, claro e seco. Posso enviar o vídeo se for importante… Abraço a todos.

    Resposta
    • 18 de maio de 2019 em 21:32
      Permalink

      Puxa, que legal, Paulo, uma experiência realmente invejável. Adoraríamos receber o vídeo, para compartilhar aqui, se possível. Gratos pela gentileza e atenção.

      Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: