Vídeo: crianças africanas veem ‘homem branco’ pela primeira vez

REAÇÃO COM A VISITA DO LUTADOR DE MMA


O Chefe de Redação

São emocionantes estas cenas do encontro entre o famoso lutador de MMA, Justin Wren, e as crianças de uma aldeia Mbuti, na República Democrática do Congo.

Algumas tribos africanas ainda são tão completamente isoladas na selva que até hoje muitos nativos jamais tiveram qualquer tipo de contato com o homem branco.

A reação das crianças surpreende diante daquele ser enorme e de pelos louros. É tamanha a curiosidade com o estranho que a garotada faz uma algazarra ao tocá-lo.

Lutador de MMA com pigmeus do Congo

O vídeo foi gravado pelo próprio atleta, utilizando o seu smartphone, ao visitar a África acompanhando um grupo de voluntários de ajuda humanitária aos Mbuti.

Eles também são chamados de Bambuti e vivem esparramados por várias tribos. Todos têm em comum a língua Bantu, um dialeto da região nordeste do país.

Estima-se que sua população não ultrapasse os 32 mil habitantes, vivendo com penúria em regiões em que a ajuda humanitária nunca conseguiu chegar.

Não precisa ir muito longe para viver situações parecidas. Comigo mesmo não foi muito diferente numa viagem por vilas isoladas no altiplano andino da Bolívia, há vários anos.

Diante de um sujeito com biotipo germânico (1,90m de altura calçado, cabelos louros e barba cerrada) os descendentes dos incas (de baixa estatura, morenos e imberbes) também reagiam com espanto, como se eu fosse um extraterrestre.

As cholas, com seus chapéus-coco, saias rodadas e curiosas como toda mulher em qualquer cultura, precisavam tocar nos meus braços e rosto para conseguir “enxergar” melhor com as mãos.

Na “evoluída” Europa, durante a Copa do Mundo de 1958, conta-se que as suecas iam à loucura com a presença de Pelé & Cia, justamente pela cor da pele.

Em todos os casos, evidentemente, o choque cultural foi enorme.

Deixe um comentário interessante neste artigo: