Super-Homem vira blogueiro e se adapta aos novos tempos da Internet

Blog do Super-Homem

QUANDO A ARTE IMITA A VIDA

O Chefe de Redação

Na vida real, aqui no Brasil, os grandes jornais se vendem aos interesses antinacionais para se transformar em órgão político organizado através do que se convencionou chamar de PiG — Partido da imprensa Golpista (assim mesmo, com “i” minúsculo).

Jornalistas que honram a profissão ficam indignados com a guinada para a direita.

No mundo da fantasia, lá em Metrópolis, o jornal Planeta Diário acaba sendo vendido a um enorme conglomerado ligado à indústria norte-americana de entretenimento e passa a publicar bobagens e futilidades. Também sai do sério.

O repórter Clark Kent fica decepcionado com os novos rumos tomados pelo jornalismo.

O que fazer em situações de extrema ruptura como estas? Vender a sua força de trabalho como um sabujo dos patrões ou, como diria o vovô caipira, fechar o bico, enfiar a viola no saco e picar a mula?

Nem uma, nem outra coisa: manter a dignidade e a coerência profissional pedindo as contas para, logo em seguida, abrir um blog independente a fim de meter a boca no trombone diretamente para seus leitores pela Internet.

E é isto mesmo que está fazendo o alter ego do Super-Homem na nova edição da história em quadrinhos que acaba de chegar às bancas nos EUA.

Tornando-se blogueiro, o nosso herói, além de não precisar recorrer ao humilhante seguro desemprego e se livrar das perseguições de seu editor Perry White, ainda torna mais segura a sua identidade secreta.

Sensacional a virada radical que o atual escritor da série, Scott Lodbell, encontrou para adaptar o homem de aço à nova era tecnológica, depois de 40 anos de serviços prestados ao velho jornal de impresso.

Os brasileiros que não quiserem perder a novidade do Universo DC podem adquirir o título, em inglês, pela plataforma Comixology.

Completo no USA Today

Deixe um comentário simpático neste artigo: