Spot refletor com disco de vinil sobre tripé de câmera fotográfica

ILUMINAÇÃO ESTILO ESTÚDIO COM LP VELHO

Lâmpada reciclada

Primeiro, o disco Long Play de vinil é modelado a quente com a forma de corneta acústica dos velhos gramofones. Com a instalação elétrica instalada no miolo, ele vira a cúpula de um spot refletor.

Depois é só adaptar o conjunto sobre um tripé para câmeras fotográficas e filmadoras. A vantagem é que, além de girar para todos os lados, a altura das pernas também pode ser regulada. Genial!

Lâmpada reciclada

Lâmpada reciclada

Lâmpada reciclada

Lâmpada reciclada

Clique nas imagens para ampliar

9 comentários em “Spot refletor com disco de vinil sobre tripé de câmera fotográfica

  • 14 de dezembro de 2017 em 12:56
    Permalink

    Paulo
    Executei nos últimos dois dias vários teste com disco em forno água fervente e um soprador térmico.
    Todas as tentativas mostram que sim, é possível a formatação do vinil num cone, porém não dá pra ser tão longo como no exemplar do tripé, pois o mesmo se torna frágil e rasga. Outra ocorrência é que em todos os casos as linhas com as trilhas musicais se desconfiguram, não ficando mais alinhada.
    Resumindo, concordo que é possível a remodelagem, mas continuo acreditando que o modelo do exemplo é um modelo injetado.
    Gostaria de um espaço para mostrar minhas fotos em particular.

    Obrigado

    Resposta
  • 10 de dezembro de 2017 em 08:34
    Permalink

    Como modelar o disco de vinil?
    Não acredito que foi utilizado um LP antigo e sim uma peça de plástico, fabricada para parecer um disco remodelado.

    Resposta
    • 10 de dezembro de 2017 em 19:26
      Permalink

      Mergulhando na água fervente, Jáder. Como o vinil é extremamente elástico e maleável, você pode modelar uma infinidade de formas e fixá-las com choque térmico, através de água fria.

      Não, com certeza não se trata de injeção de plástico. O custo de uma ferramenta para isto é enorme, não justifica o investimento. Só para escala muito alta, o que não é o caso.

      Para formar o cone, utilizou-se um molde artesanal (como um sino de argila ou gesso-pedra) rotativo e a técnica de repuxo ou repuxamento (como a utilizada na fabricação de panelas) de aço ou alumínio.

      O amolecimento do LP, neste caso, pode ser feito com o uso de um soprador de ar quente, dos que se usa em serigrafia, ou secador de cabelos de boa qualidade. Não tem muito mistério não.

      Resposta
      • 11 de dezembro de 2017 em 14:36
        Permalink

        Agradeço a explicação, Paulo.
        Eu já estava planejando algumas tentativas.
        Tenho vários LP’s antigos e vou fazer o teste. Se der certo quero produzir luminárias que ficarão pendentes em minha área de convivência.
        Posto as fotos quando possível.

        Resposta
        • 11 de dezembro de 2017 em 21:26
          Permalink

          Nós é que ficamos gratos pela gentileza da resposta, Jáder. E mande, sim, as imagens que, se você autorizar, teremos o maior prazer um fazer um post a respeito. Boa sorte e sucesso na empreitada. Abs.

          Resposta
  • Pingback:A reciclagem dos LPs | Cabeça Amarela

Deixe um comentário interessante neste artigo: