Spin Doctors: os ‘especialistas’ da velha mídia para nos cegar

Spin Doctor - especialista da mídia

MESTRES DA DISTORÇÃO

O Chefe de Redação

Você já deve ter reparado que os veículos da velha mídia costumam se socorrer com “especialistas” em determinadas áreas para sustentar os piores pontos de vista do seu interesse político e econômico.

Na TV Globo, por exemplo, é comum o diretor de jornalismo Ali Kamel dar ampla visibilidade a “peritos” e colunistas de reputação duvidosa ao testar suas hipóteses absurdas quando a situação lhe convém.

Mas quem são estes picaretas que se vendem para engambelar a opinião pública? Eles atendem, no jargão jornalístico, por uma expressão tão pomposa quanto indecente. Cuidado, portanto, com eles.

OS ‘SPIN DOCTORS’ DA VELHA MÍDIA

Na mídia, o spin doctor é aquele profissional que serve a uma empresa ou facção política para gerar “torsões na verdade”.

Daí o nome “doutor em spin” (rotação).

Mesmo a tradução pode parecer estranha porque, no português, “doutor” é muito ligado à medicina. Aqui chamaríamos mais apropriadamente “mestre da distorção”.

Sua função basicamente é pegar um fato banal, produzir um fait divers (escândalo) e usá-lo contra o grupo rival a partir de uma versão “criativa”.

Geralmente, a função não é assumida. Mas é aí que reside a graça: o spin doctor tem que vender a própria imagem como um “colunista de opiniões sinceras”.

Justamente, porque a revelação de que seria um profissional da opinião pago para isso poderia tirar-lhes a força de convencimento.

A diferença entre um assessor de marketing e um spin doctor é justamente essa: ele atua diretamente no jornalismo, enquanto o assessor de marketing atua na publicidade ou tenta plantar noticiários.

Enquanto o assessor de marketing geralmente exalta as boas ações ou o bom perfil do seu cliente, a partir de contratos conhecidos socialmente, o spin doctor é muito bem pago, clandestinamente, para destruir reputações ou atacar diretamente seus oponentes, para que o cliente não tenha que fazê-lo.

Sua pauta é basicamente a de tentar desmoralizar possíveis opositores ou críticos do grupo do qual é cliente.

Preparado o terreno, o cliente entra somente com virtudes.

Com Cyberogan

Deixe um comentário simpático neste artigo: