Profecias do Calendário Maia não falam de Fim do Mundo em 2012

Profecias Maias - Apocalipse em 2012

TEMPOS DE TRANSFORMAÇÃO

Do blog ECOnsciência

Com a aproximação da data cabalística, instalou-se a histeria coletiva de que os Maias teriam previsto, em seu famoso calendário, que o mundo iria acabar em dezembro de 2012. Não é verdade, eles nunca usaram a palavra ‘fim’. O que os Maias fizeram foi anunciar um momento de mudança, de grande aumento de energia do planeta, o que causaria nas pessoas os ‘eventos de destino’, isto é, definitivos. O problema é que o nível de compreensão da maioria alcança apenas o ‘fim do mundo’ e não a transformação de consciência.

O QUE VAI ACONTECER EM 2012? UMA CRISE DE CONSCIÊNCIA

Um renomado especialista em cultura Maia explica o que esta civilização escreveu em pedra sobre 2012.

Há quinze anos, Fernando Malkun, um arquiteto de origem libanesa, natural de Barranquilla, na Colômbia, deixou a profissão que tinha estudado na Universidade de los Andes e se dedicado por quase uma década, a fim de buscar respostas para as perguntas que atravessaram a sua vida.

Durante esse tempo, ele se encontrou com a cultura Maia e dedicou-se completamente ao seu estudo. Hoje é um especialista no tema, com reconhecimento internacional e continua viajando pelo mundo para explicar a mensagem que esta civilização deixou para os seres humanos.

Veja a entrevista de Fernando Malkun, ao jornal El Tiempo, de Bogotá:

Os maias disseram que o mundo iria acabar em 2012?

Estão gerando um pânico coletivo absurdo de que eles teriam anunciado que o mundo iria acabar em dezembro de 2012. Não é verdade. Os Maias nunca usaram a palavra “fim”. Anunciaram um momento de mudança, de grande aumento de energia do planeta, o que causaria “eventos de destino”, isto é, definitivos, nas pessoas. O problema é que o nível de consciência da maioria das pessoas atinge apenas o fim do mundo e não a transformação de consciência.

Quando isso vai acontecer?

Não vai acontecer, está acontecendo. As pessoas não estão juntando todas as peças do quebra-cabeças para perceber isso. Acreditam apenas que estes eventos atuais são causados por um conjunto de “coincidências” evolutivas. Mas estamos em uma onda de mudanças como nunca antes.

O que se percebe, segundo o que é dito pelos Maias?

A profecia anunciou que o planeta aumentaria a sua freqüência vibracional, o que é um fato. Esta freqüência, que se mede com a ressonância Schumann, passou de 8 a 13 ciclos. Todos os planetas do sistema solar estão mudando. De 1992 até hoje, os polos de Marte desapareceram 60% e Vênus tem quase o dobro de luminescência. Passamos 300 anos registrando o Sol e as tempestades solares maiores têm ocorrido nos últimos seis meses. Houve 425% no aumento do número de terremotos. Tudo está acelerado dos pontos de vista geofísico e solar. Nosso cérebro, que irradia suas próprias ondas, é afetado por essa maior irradiação do sol. Essa carga eletromagnética é o motivo por que sentimos o tempo passar mais rápido. Não é o tempo físico, mas o tempo de percepção emocional.

Fale sobre 1992. Por que este ano? O que aconteceu?

A essência das profecias Maias é comunicar a existência de um ciclo de 26.000 anos, chamado “o grande ciclo cósmico”. Tudo — estações, meses, dias — se ajusta a esse ciclo. Há 13 mil anos o Sol, como agora, irradiou mais energia no planeta e derreteu a camada de gelo. Essa camada desaguou no mar, elevou o seu nível em 120 metros e ocorreu o chamado “Dilúvio Universal”. Os Maias disseram que quando o sistema solar estiver novamente a 180 graus de onde estava a 13.000 anos atrás, a Estrela do Norte brilhando sobre o polo, a constelação de Aquário aparecendo no horizonte e o trânsito décimo-terceiro de Vênus se der — o que vai acontecer em 6 de junho de 2012 — o centro da galáxia pulsará e haverá manifestações de fogo, água, terra e ar. Eles falam, especificamente, de dois períodos de vinte anos, de 1992 a 2012 e de 2012 a 2032, de intensas mudanças.

Por que anunciavam isso?

A proximidade da morte faz com que as pessoas repensem suas vidas, examinem e corrijam a direção que tomam. Isso é algo que ocorre somente se algo se aproxima de você, ou você passa diretamente, te impacta tremendamente. Isto é o que tem acontecido com os tsunamis, os terremotos, as catástrofes naturais que vivemos, os conflitos sociais, econômicos, etc. Então, eles falam de “morte”, que significa “mudança”, um despertar da consciência. Tudo o que está errado com o planeta está se potencializando com o objetivo de que a mente humana se dedique a resolvê-lo. Há uma crise de consciência individual, as pessoas estão vivendo “eventos de destino” — seja em seus relacionamentos, seus recursos, em sua saúde. É um processo de mudança que se baseia principalmente no desdobramento invisível. Isto afeta em especial a mulher.

Por que as mulheres?

A mulher é quem terá o poder de criar a nova Era, devido à sua maior sensibilidade. De acordo com as profecias — não só as maias, mas muitas– a era que se aproxima é de harmonia e espiritualidade. As coisas que estão mal vão se resolver no período que os Maias chamaram de “tempo do não tempo”, que será de 2012 a 2032. Desde 1992, o percentual de mulheres que vêem a aura (seres curadores) do planeta tem aumentado. Hoje é de 8,6%. Imagine que em 2014 seja de 10%. Isso significaria o início de um período mais transparente. Essa seria a direção da mudança não violenta. Mas o que se vê hoje é um aumento na agressividade… As duas polaridades são intensificadas. Estão abertos os dois caminhos, o negativo — escuro, destruição, de confronto do homem com o homem; e o de crescimento da consciência. Existem várias vozes que estão levando os seres humanos a pensar sobre isso. Desde 1992, as informações proibidas dos gnósticos, dos maçons, dos Illuminati, estão abertas para que se utilize no processo de mudança de si mesmo. A religião está acabando e a religiosidade é que irá permanecer.

Tudo isso, os Maias deixaram de escrito, assim específico?

Não a esse ponto. Eles disseram que o Sol iria mudar as condições do planeta e criar “eventos de destino “. O Sol bateu todos os recordes este ano. Os terremotos aumentaram 425%. A mudança de temperatura é muito intensa: de 92 para cá aumentou quase um grau, o mesmo que subiu nos últimos 100 anos anteriores. Antes, havia 600 ou 700 tormentas elétricas simultâneas, hoje há 2 mil. Antes se registravam 80 raios por segundo, agora caem entre 180 e 220.

Como eles sabiam que isso ia acontecer?

Eles tinham uma tecnologia extraordinária. Em suas pirâmides havia altares de onde estudavam o movimento do Sol no horizonte. Produziam gráficos com os quais sabiam quando haveria as manchas solares, quando aconteceriam tempestades elétricas. Foi um conhecimento que receberam dos egípcios que, por sua vez, o receberam dos sacerdotes sobreviventes da Atlântida, civilização destruída 13.000 anos atrás. Os Maias aperfeiçoaram o conhecimentos e foram os criadores dos calendários mais precisos. Um deles, chamado “Conta larga” termina em 21 de dezembro de 2012 e marca o ponto do centro exato do período de 26.000 anos. Eles sabiam que as mudanças estavam a caminho e o que eles fizeram foi deixar esta informação para o homem de 2012.

Será que estas mudanças só foram levantadas por eles?

Todas as profecias falam da mesma coisa. Os hindus, por exemplo, anunciam o momento de mudança e falam sobre a chegada de um ser extraordinário, como o mundo ocidental cristão apregoa. Os Maias nunca falaram de um ser extraordinário que viria para nos salvar, mas falaram de crescer em consciência e assumir a responsabilidade, cada ser na sua individualidade.

E se as pessoas não acreditam nisso?

Acreditando ou não, vão senti-lo no seu interior. A mudança que estamos vivenciando não é algo para se acreditar ou não. Neste momento, a maioria está vivendo um tempo de avaliação de sua vida — por que estou aqui, o que está acontecendo, para onde eu quero ir? Basta olhar o crescimento da busca de espiritualidade, não de religiosidade, porque a religião não está dando mais respostas às pessoas.

A sua vida pessoal mudou?

Há quinze anos eu era tremendamente materialista. Minha conduta é muito diferente hoje. Eu me perguntei por que estava aqui, para quê e por que razões especiais acabei metido no mundo Maia. E posso afirmar que não se tratam de crenças falsas para substituir crenças falsas. Tirei muitas histórias da minha mente, mas eu ainda estou no terceiro nível de consciência, que é dominante no planeta.

Quem está mais em cima?

Há pessoas que estão em um nível 4 ou 5. São as menos famosas, de perfil baixo. Em uma viagem conheci um jardineiro extraordinário, por exemplo. Estes seres estão em serviço permanente, afetando a vida de muitas pessoas, mas não publicamente.

O que devemos fazer, de acordo com essa teoria?

O universo está nos dando uma oportunidade individual para reestruturar nossas vidas. A maneira de sincronizar-nos é, primeiro, não ter medo, perceber que podemos mudar nossa consciência. A física quântica já comprovou: a consciência modifica a matéria, o que significa que sua vida depende daquilo que você pensa. A distância entre causa e efeito tem diminuído. Vinte anos atrás, para que se manifestasse algo em sua vida, necessitava-se de muita energia. Há vinte anos qualquer fator de punição de um ato maldoso ganhavam-se os anos para receber alarde. Hoje tudo ganha destaque rápido. A corrupção pelo mundo afora tem ganhado destaque internacional, as ditaduras estão caindo e as religiões a cada dia mais problemáticas. Hoje, você pensa algo e em uma semana está acontecendo. Sua mente causa isso. O que devemos é buscar, as respostas estão aí. Basta ter olhos para ver e ouvidos para ouvir.

– – –

Visto em A Verdade Liberta

Deixe um comentário simpático neste artigo: