‘Patinho feio’ da indústria automobilística volta a fazer sucesso

ÍCONE FRANCÊS CITROËN 2CV CHARLESTON

Carro Citroën 2CV Charleston

Quando o inglês Tony Shields (foto) começou seu novo negócio de restauração dos antigos automóveis Citroën 2CV, foi ridicularizado por todos os seus amigos, proprietários de modernos carros de plástico.

O motivo das piadas era porque certamente perderia dinheiro ao se especializar no mais popular veículo francês, considerado o “patinho feio” da indústria automobilística mundial. Sabiam de nada, inocentes.

Carro Citroën 2CV Charleston

Por algum mistério insondável – mão do destino, talvez – o carro de pobre, guarda-chuva de cabeça pra baixo e outros pejorativos, arrebentou a boca do balão e se transformou num sucesso de vendas.

Em quatro anos o negócio cresceu a tal ponto que se mudou para um galpão bem grande e já emprega sete pessoas. Apesar da crise do euro, numa única encomenda enviou 30 chassis para a França.

Carros Citroën 2CV Charleston

Mr. Shields atribui a procura ao desejo de muitas pessoas em reviver momentos da juventude num carro 100% mecânico, pagando por esse prazer em torno de 12 mil euros – ou o equivalente a 36 mil reais.

O nome 2CV é uma abreviação de “Dois Cavalos a Vapor”. O design é de 1930, mas 5 milhões de unidades foram produzidas entre 1948 e 1990, entre elas o icônico modelo Charleston (na foto abaixo).

Carro Citroën 2CV Charleston

Assista no YouTube a uma ‘garimpagem’ de modelo igual ao da foto acima.

Deixe um comentário simpático neste artigo: