Padre Luizinho e o estupro: inspiração de Rafinha Bastos do CQC

Bispo de Guarulhos - estupro

ESTUPRO É ‘MENTIRA’

A Cachaça da Happy Hour

“Mulheres mentem ao dizer que foram estupradas”. A afirmação foi feita pelo Bispo Luiz Gonzaga Bergonzini, de Guarulhos, São Paulo.

Padre Luizinho, como é mais conhecido, acusa que a mentira seja “apenas” para conseguir a liberação da lei para a prática do aborto.

Você se surpreende com a nova declaração do “religioso” que mandou imprimir panfletos difamando a então candidata Dilma Rousseff nas últimas eleições presidenciais?

Então entenda, conforme relato ainda mais espantoso de Luis Nassif, onde e como foi formado o caráter dessa figura tenebrosa, para dizer o mínimo.

Dom Tomaz Vaquero, há decadas, era bispo no sul de Minas Gerais. Tinha como auxiliar um cidadão inexpressivo de nome padre Luizinho.

Pois é o padre Luizinho que herdou o conservadorismo de Dom Tomaz Vaquero e agregou a ele uma dose de ridículo poucas vezes vista na Igreja Católica.

Dom Vaquero pregava nos seus sermões dominicais:

– O homem é como a terra, forte, fértil; a mulher como a água da montanha, pura, cristalina. Quando os dois se juntam o que acontece? Barro, lama.

E assim acabou gerado e moldado o boneco

* * *

Blog da Nívia de Oliveira Castro

5 comentários em “Padre Luizinho e o estupro: inspiração de Rafinha Bastos do CQC

  • 4 de julho de 2011 em 15:37
    Permalink

    Vi em muitos sites a repercussão sobre este assunto. Infelizmente, vi muitos comentários (principalmente de homens) que fazem gracejos com essa violência hedionda. Sinceramente, esse tipo de atitude me incomoda, entristece-me.

    Que os homens se acham superiores, fortões e que acham que nunca passariam por algo deste tipo (ser estuprados) até entendo, mas daí a não ser solidários com nossa dor, isso é algo incompreensível. Afinal, todos mantêm relações de afeto conosco, mulheres. Todos nasceram de uma mulher. Muitos têm filhas, irmãs, tias, sobrinhas, namoradas, noivas, esposas, amigas, colegas de trabalho, de escola etc.

    Culpabilizar a vítima, infelizmente, é algo recorrente em nosso país. Tática macabra de advogados que aproveitam de nosso imaginário coletivo chauvinista para defender a violência: a doméstica, das agressões sexuais e, pasmem, até da pedofilia!

    Quem não se lembra do caso da Eliza Samúdio? Óbvio, não era nenhuma santa, mas merecia proteção policial como qualquer uma de nós e não teve. Todos só queriam explorar o seu triste passado.

    Vi muita gente criticar a Marcha das Vadias e seu lema — nem putas, nem santas, apenas mulheres! — sem ao menos procurar saber, pesquisar a história da marcha, que o nome é em protesto a um policial canadense.

    NADA JUSTIFICA VIOLÊNCIA. BASTA DE IMPUNIDADE.

    Como diz a música da Yoko Ono, erroneamente interpretada de preconceituosa por alguns, a mulher é o preto do mundo.

    Temos a luta pelos direitos dos homossexuais. Temos a história dos negros e do continente africano, em nossos livros didáticos, mas não temos a história das mulheres.

    Somos mais da metade da população mundial e não temos temas femininos nem nas faculdades ou pós-graduações. Nada sobre as sufragistas, as jovens hoje acham que nosso voto nos foi dado por benesse masculina. Quem no Brasil sabe quem foi Olympe de Gouges?

    Os homens que acham graça deste tipo de violência estão compactuando com ela, reforçando o machismo e o comportamento dos agressores.

    O que você acha que vai pensar um jovem de baixa escolaridade, que mora em uma periferia violenta, que não tem valores morais sólidos, vê violência todo dia, com família desustruturada (pais delinquentes, drogados, presos, alcoólatras, irresponsáveis que abandonam filhos jovens à sua própria sorte) e vê um comentário desses, de um cara que faz sucesso, é famoso, tem audiência, dinheiro e inúmeras oportunidades na vida?

    O que esse infeliz Rafael Bastos não sabe, é que as mulheres internalizam o comportamento machista, mesmo que inconscientemente, e acabam por achar que por serem bonitas ou estarem vestidas de determinada maneira, sofreram a violência. Muitas realmente se “embaragam” — já que não existe mulher feia e sim mal cuidada!

    Foi o que aconteceu comigo, depois do que sofri, engordei 30 quilos, não me arrumo, não uso maquiagem e tenho dificuldades para levar uma vida social normal, sair de casa etc… Meu manequim era 34/36!

    Realmente, parece que quanto mais o tempo passa mais este país piora. Já não se fazem mais homens como antigamente.

    Gostaria que este cara fizesse esta piada na frente das mulheres que foram violentadas e de seus familiares. Será que realmente pode-se fazer gracejo com tudo? Eu acho que não.

    Para quem acha tudo brincadeira, li um comentário de um rapaz em outra página na internet dizendo que devemos fazer piada da desgraça, levar acontecimentos tristes de nossa vida com bom humor, que o defeito é nosso. Afinal, nós mulheres é que somos sensíveis demais.

    Gostaria que este e mais uma cambada dos que pensam assim, caso passassem pela experiência de serem violentados por um cabo de vassoura, provassem o que dizem: que ainda saíssem rindo de si mesmos…

    Resposta
  • 30 de junho de 2011 em 04:47
    Permalink

    Todos que fazem este tipo de maldade com as mulheres (tipo este cara que se diz humorista, Rafael Bastos) deveriam ser punidos com todo o rigor, as mulheres continuam levando “chumbo” porque não respondem às agressões cometidas pelos homens, eles abusam da nossa bondade genuína, natural, da nossa falta de capacidade e interesse pra violência.
    Vi em muitos sites, homens dizendo que tudo é brincadeira, que devemos levar os acontecimentos trágicos com bom humor, gostaria que estes homens fizessem uma fila na porta de minha casa, para encararem um cabo de vassoura… com a “moda” que tem por aí, pode ser até que eles gostem…
    Hoje em dia a liberdade de expressão beira às raias da insanidade, virou libertinagem e agressão às famílias de bem, a mídia faz apologia ao estupro, pedofilia, etc.
    Enfim, tudo muito triste.

    Resposta
  • 21 de junho de 2011 em 11:37
    Permalink

    O SATANA (mistura de satanás com sacana) tambem é adepto das chamadas teorias conspiratórias e mantém um blog onde denuncia coisas do tipo:

    “Conspiração da Unesco transformará metade do mundo em homossexuais. A ditadura gay não vai poupar ninguém, nem mesmo NOSSOS FILHOS”.

    Xiiiiiiiiiii…….. Ato falho? O bispo assumiu em público sua paternidade….. E pode?

    Resposta
  • 19 de junho de 2011 em 21:19
    Permalink

    Meu Pai do Céu! Isso não é um padre. É um espírito maligno disfarçado sob a batina.

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: