Mineração urbana extrai ouro e prata de celulares reciclados

A ENORME RIQUEZA QUE JOGAMOS NO LIXO

Telefone é uma mina

Há muito se fala na chamada “mineração urbana“, que pode substituir o minério extraído das jazidas pelas toneladas de ouro e prata que vão parar no lixo depois que os equipamentos eletrônicos são descartados ou nossos celulares chegam ao fim de sua breve vida útil.

“E há muito ouro no lixo – literalmente. É preciso uma tonelada de minério para se obter 1 grama de ouro. Mas você pode conseguir a mesma quantidade reciclando o material de 41 telefones celulares”, garante Janez Potocnik, da Comissão Europeia para o Meio Ambiente.

Contudo, ainda são incertas as dimensões desse nicho de mercado – tanto os volumes de ouro e outros metais preciosos que realmente estão nos aparelhos, quanto as quantidades que se pode recuperar deles de forma economicamente viável.

OURO DOS CELULARES

As minas tradicionais em funcionamento hoje no mundo conseguem apurar de 1 a 2 gramas de ouro por tonelada de minério extraído.

As estimativas sobre a quantidade de ouro em cada celular – o volume é diferente de um modelo para outro – variam, com especialistas falando em extrair 1 grama de ouro de alguma coisa entre 35 e 41 telefones celulares.

Se isto for colocado de outra forma, para permitir uma comparação com a mineração convencional, o resultado é que uma tonelada de “minério urbano” – telefones celulares velhos – poderia render até 300 gramas de ouro.

Contudo, para que seja possível recuperar todo esse ouro, é necessário prever a reciclagem dos metais preciosos dos aparelhos eletrônicos desde o projeto dos equipamentos.

Só assim seria possível a migração para a chamada “economia circular”, ou seja, uma economia sem lixo, onde os produtos velhos seriam reutilizados na fabricação de novos.

Mineração Urbana

Matéria completa aqui

Deixe um comentário interessante neste artigo: