Milhões cometem ‘facebookcídio’ por medo da espionagem dos EUA

PONDO FIM ÀS PRÓPRIAS CONTAS NA REDE

Facebook perde usuários

Embora ainda cresça em ritmo acelerado no terceiro mundo, milhões de usuários desiludidos dos países desenvolvidos decidiram recentemente pôr fim às suas próprias contas no Facebook.

Só nos EUA foram 9 milhões de facebookcídios contra 2 milhões na Inglaterra. A maioria das baixas (48,3%) aconteceu após as denúncias de espionagem e violações de privacidade na rede social.

Em agosto deste ano, o portal Infowars revelou que, somente no primeiro semestre, o Facebook havia entregue ao governo dos EUA as informações de 38 mil usuários em 74 países.

Mas não são apenas os aspectos relacionados à falta de privacidade que explicam as baixas: insatisfação geral com a rede (13,5%), baixa qualidade de publicações e debates (12,6%) e medo de se tornar um “viciado” (6%).

Segundo a pesquisa da Universidade de Viena, na Áustria, a maioria dos usuários que deixou a rede é formada por homens mais velhos.

A rede social, assim como Google, Yahoo e Microsoft, têm colaborado ativamente com a espionagem do governo norte-americano.

ME ENGANA QUE EU GOSTO

Mais de metade dos pedidos de dados de usuários aconteceu nos Estados Unidos, mas a NSA (Agência de Segurança Nacional) tem violado frequentemente dados digitais em todo o mundo.

Segundo denúncias do ex-agente Edward Snowden, nem o governo brasileiro e a presidenta Dilma Rousseff escaparam da espionagem de Barack Obama.

Os dados referentes às baixas no Facebook foram publicados pela revista Cyberpsychology, que relacionou as saídas de usuários às revelações do WikiLeaks, de Julian Assange, e às recentes denúncias sobre a vigilância internacional promovida pela NSA.

Por isso, diz a revista, os cidadãos estão cada vez mais cautelosos em relação à privacidade de seus dados. A rede de Zuckerberg, por exemplo, não nega que pode usar dados do perfil dos usuários para publicidade, incluindo a foto do perfil, nome e informações pessoais.

Outra ferramenta bastante criticada na rede social é o recurso que faz o reconhecimento facial dos usuários para sugerir a identificação em fotografias, sob a justificativa de “acelerar o processo de marcação de amigos” que aparecem em fotos publicadas no Facebook.

Deixe um comentário simpático neste artigo: