Milhares de armas de fogo recicladas como instrumentos musicais

Música de revólveres e pistolas

HARPAS, FLAUTAS E GUITARRAS

Do blog ECOnsciência

No Brasil, o armamento apreendido com a bandidagem em ações policiais é destruído por rolos compressores. Depois a sucata é encaminhada a fundições para ser derretida. Tudo feito discretamente.

No México, não. Lá, as armas de fogo apreendidas na guerra contra o tráfico de drogas era apenas enterrada. Agora elas são usadas em campanhas de conscientização pelo desarmamento.

Através do projeto Imagine, o artista plástico Pedro Reyes — com a colaboração de seis músicos — transformou os componentes de 6 mil 700 pistolas, fuzis e metralhadoras, entre outros, em 50 instrumentos musicais.

Armas de fogo recicladas como arte

Como uma forma de declaração contra a violência armada, no período de duas semanas o material bélico foi cortado e soldado para se transformar em instrumentos de corda, sopro e percussão.

Para Pedro Reyes a transformação foi mais do que física. “Muitas vidas foram tiradas com essas armas. Com esta espécie de exorcismo, a música expulsa os demônios nelas contidas como um réquiem para as vidas perdidas”, justifica.

Instrumento musical com revólveres

Ao lembrar as 80 mil mortes por arma de fogo que ocorreram no México nos últimos 6 anos, o artista critica a grande indústria da morte e o sofrimento para os quais não há rejeição cultural.

“Armas continuam a ser descritas como algo sexy, tanto em Hollywood quanto em videogames. Hoje, pode haver atores que não fumam mais em cena, mas ainda não existe um sequer que rejeite o papel de um herói no gatilho”, conclui.

Instrumento de sopro reciclado

Surpreendentemente, este não é o primeiro projeto de reutilização de armas envolvendo artistas plásticos.

Em 2008 nada menos que 1 mil 527 armas foram recicladas pelo próprio Reyes como pás para plantar o mesmo número de árvores, como parte do projeto de Palas por Pistolas. Se você gostou desta série deve também verificar o trabalho de Al Farrow.

Guitarra com armas de fogo

Visto no Colossal

Deixe um comentário interessante neste artigo: