Maior feira de artesanato da América Latina. Eu vou!

Termina depois de amanhã, domingo, a Feira Nacional de Artesanato que se realiza na Expominas, em Belo Horizonte. Trata-se do maior evento do gênero da América Latina que, em sua vigésima edição, homenageia o Brasil e sua diversidade cultural, étnica e artesanal.

É esperada uma visitação recorde de 200 mil pessoas em uma área de 23 mil metros quadrados, com 1,1 mil estandes e cerca de 8 mil expositores. O volume de vendas pode chegar a R$ 100 milhões. Ano passado, no auge da “crise”, estes números chegaram a surpreendentes R$ 86 milhões.

Artesãos de todos os estados brasileiros e representantes de 12 países estão expondo e comercializando cerca de 50 mil itens artesanais. Os povos da mata são representados por 25 etnias indígenas de diversas tribos do País.

O primeiro dia do evento, terça-feira, foi reservado para cerca de 10 mil lojistas e atacadistas, com o objetivo de gerar negócios e incrementar estoques para as vendas de Natal. O setor de exportação contabiliza 120 compradores internacionais, que estão fazendo transações diretas com os artesãos.

A Feira Nacional de Artesanato faz parte do Calendário Brasileiro de Exportações e Feiras, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Também está classificada como evento cultural, através da Lei de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura. O evento é apoiado pela Petrobras, Banco do Brasil, Fiemg, Cemig, Correios, Codemig e Apex Brasil.

Sim, é claro que eu vou! Serão uns 700 km de ida e volta mas imagina se eu ia perder uma feira desse porte.

PS: Coloquei esta imagem acima num formato grande, porém bem leve. Clique nela pra ver na ampliação que trabalho gráfico lindo.

3 comentários em “Maior feira de artesanato da América Latina. Eu vou!

  • 27 de novembro de 2009 em 11:13
    Permalink

    O artesão aqui pode dar uma contrbuição? Obrigado.

    Na realidade não existem estatísticas nacionais confiáveis, o que infelizmente dificulta o desenvolvimnto de uma política para o setor, quem grande parte ainda atua na economia informal.

    Porém, estimativas do IGBE indicam que cerca de 8 milhões e meio de brasileiros, talvez mais, trabalham com artesanato. E sabe qual é o faturamento anual bruto? 12 bilhões de dólares… ‘mixaria’ que poderia triplicar em três ou quatro anos!

    Outro problema é que somente 200 mil artesãos estão organizados em pequensa empresas, associações ou cooperativas. Quer dizer, uma gota num mar de gente, a maioria desassistida e explorada pelos tubarões atacadistas. Esses sao uma praga.

    Agora imagine só o potencial desse setor um pouco mais organizado, com o dólar cotado a um câmbio civilizado e com a nossa diversidade cutlural, aonde não poderemos chegar em termos planetários.

    Falta só um gatilho nesse nosso segmento para provocar uma explosão virtuosa. De repente acontece porque a gente percebe que está por um fio.

    Obrigado outra vez.
    Nerval

    Resposta
  • 27 de novembro de 2009 em 10:29
    Permalink

    Me too Beth. A desaparecida tava aqui, malocadinha, né? Coisa de mineira, enfim. Quem poderia imaginar que ela é “cachaceira”? (gostei do “cachacista”, sinônimo de pinguço)

    Chega mais, chega mais. Tamos esperando por ocê.

    Resposta
  • 27 de novembro de 2009 em 10:02
    Permalink

    Ói que butininho o seu blog. Uma gracinha. Cheguei pela Agenda Cultural do Nassif. Por falar nisso andas muito sumida de lá. Sinto falta da suas dicas musicais e culturais. Vê se dá um jeito e aparece com mais frequencia. Sucesso e beijos. Beth.

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: