Lydia Ko, aos 14 anos, é o novo fenômeno do golfe mundial

Lydia Ko campeã de golfe

A BELA QUE É UMA FERA

A Cachaça da Happy Hour

A garota passou a ser chamada de ‘Tiger Woods de saias’ ao tornar-se a golfista mais jovem da história do esporte a vencer um torneio profissional. Conheça a trajetória de Lydia Ko, agora não apenas uma promessa, mas também uma nova estrela do circuito internacional de golfe, que gosta de refrigerante e de passar os dias no Facebook como toda menina de sua idade.

É MULHER, USA ÓCULOS E SÓ TEM 14 ANOS

por Cátia Bruno *

Todas já tivemos 14 anos. E muitas de nós fomos adolescentes preocupadas com garotos, atarefadas com trabalhos de casa e deveres da escola, ocupadas com o resto das amigas.

Lydia Ko é uma garota de 14 anos como as outras. Bem, não exatamente como as outras: Ko tornou-se a pessoa mais jovem de todos os tempos a vencer um torneio profissional de golfe.

Catorze anos e 278 dias. Foi com esta idade que Lydia venceu o Open de Nova Gales do Sul, na Austrália, derrotando a antiga número um do mundo Laura Davies, bem como outras promessas femininas do golfe.

Foi no Oatlands Golf Club que uma plateia de cerca de mil pessoas assistiu ao feito, que deixou para trás os recordes de Amy Yang (vencedora do Masters da Austrália com 16 anos) e de Rory Ishikawa (vencedor do Open do Japão com 15 anos).

A semana passada, Lydia já tinha subido ao primeiro lugar do ranking de amadores.

A adolescente nascida na Coreia do Sul mudou-se para a Nova Zelândia com apenas seis anos, arrastando a família atrás. “A minha irmã (a Sura) estudava no Canadá e nós íamos mudar-nos para lá. Mas depois comecei a jogar golfe regularmente e concluímos que a Nova Zelândia seria um local melhor, por causa do clima.”

Não se diz não a um pequeno talento. O objetivo naquela altura era apenas um: Lydia Ko queria tornar-se a golfista número um do mundo.

Mas ela tem apenas 14 anos, não se esqueça. Se bem que, como qualquer adolescente que se preze, deve gostar de dizer que tem quase 15 — o seu aniversário é em abril. Ainda tem mais três anos de escola pela frente, embora treine 35 horas por semana. Quase como um segundo trabalho.

Há um ano, Guy Wilson, o treinador de Lydia, era também o seu caddie. Este ano, com as maiores responsabilidades que acumulou como treinador, pediu a Steve Mowbray, um antigo caddie, que assumisse esse papel com Lydia. Mowbray não só aceitou, como alojou a menina em sua casa durante o torneio.

O início da prova foi promissor. Ao fim do segundo dia, a adolescente mostrava-se confiante quanto ao primeiro lugar: “Se jogar como joguei hoje e ontem, estou confiante de que posso conseguir.”

Depois passou a noite como qualquer outra garota. Juntamente com Jack, o filho de Mowbray que tem a sua idade, a golfista viu televisão (gosta especialmente de programas de culinária) e esteve no Facebook. Até utilizou a rede social para felicitar outra golfista pelo bom trabalho nesse dia do torneio.

E foi no último dia, no domingo, 29, que tudo se decidiu. A celebração? Um abraço no seu caddie. Depois um telefonema ao seu treinador para lembrar-lhe uma antiga promessa. Ko ganhou e Wilson vai ter de saltar para dentro de um lago. O prometido é devido.

Aos jornalistas, umas breves palavras: “Estive nervosa até ao fim”, explicou. “É fantástico, não sei o que dizer. A única coisa que sei é que joguei de forma consistente ao longo da semana e estou muito feliz. Fazer parte da história é um milagre. Não é algo que se consiga só com um estalar de dedos.”

Empolgante para a jovem que, como qualquer adolescente, tem alguns ídolos. Michelle Wie e Alexis Thompson, duas norte-americanas… golfistas, claro.

Depois da vitória, Lydia esperava apenas beber um refrigerante refastelada no sofá, e gozar o merecido descanso. Uma menina de 14 anos não precisa de muito mais. O seu caddie, por outro lado, achou que um restaurante italiano ao pé da Ópera de Sydney era mais apropriado.

* No iOnline

Deixe um comentário simpático neste artigo: