Inglês condenado por tuitar mensagens racistas contra atleta negro

Futebol - Racismo na Europa

MISTURA EXPLOSIVA: ÓDIO E ÁLCOOL

A Cachaça da Happy Hour

Diz a voz da consciência que, entre tantas, há duas coisas que não se deve fazer de jeito nenhum depois de se ingerir bebidas alcoólicas, sob o risco de liberar os mais primitivos ou pouco evoluídos, tanto faz, instintos humanos. O preço a ser pago pela imprudência ou falta de responsabilidade costuma ser bastante alto.

Um deles, pelos motivos óbvios, é digirir automóveis sob o efeito do álcool. O outro é nunca, jamais, entrar biritado na Internet com a intenção de postar alguma coisa num blog ou rede social. O resultado, em geral, é desastroso. Como demonstra com regularidade uma certa atriz, tão famosa quanto mal-educada, as palavras vão e não voltam.

Se estivesse de posse do mais perfeito juízo para medir as consequências de suas postagens, talvez o inconsequente Liam Stacey não tivesse dado a bola fora que deu no Twitter.

O que fez o troll inglês? Publicou vários tweets sacaneando Fabrice Muamba, o jogador de futebol do Bolton que comoveu o mundo ao cair praticamente morto numa partida e assim ter ficado por vários minutos até ser ressuscitado de forma desesperadora.

Enquanto o atleta negro agonizava em campo, o estudante de 21 anos mandou ver em mensagens com teor racista pela rede de microblog, tirando onda com aquela situação dramática.

A comunidade não gostou e reagiu denunciando Liam Stacey às autoridades. Agora, um juiz condenou o panaca a 56 dias de prisão, por considerar “vis e aberrantes” as mensagens racistas.

Stacey, com certeza, terá tempo suficiente para se arrender atrás da grades pelo que escreveu: primeiro alegou que a conta tinha sido hackeada, depois tentou apagar as mensagens e por fim acabou por admitir que tuitou sob a influência do álcool.

Agora, tadinho, é ferro na boneca por quase dois meses até curar a ressaca…

Com informações diretas da Europa do nosso amigo Jorge Salvador

Deixe um comentário simpático neste artigo: