Globo recebe reforço da concorrência para falar mal do governo

Charge PiG - Partido da imprensa Golpista

INSTITUTO MILLENIUM EM AÇÃO

O Chefe de Redação

Antes do recesso de fim de ano foi surpreendente ver Jô Soares acolhendo como convidado em seu programa das madrugadas a improvável presença do jornalista José Nêumanne Pinto, já que a TV Globo não costuma abrir espaço para subcelebridades de veículos concorrentes.

Para quem ainda não ligou o nome à figura, José Nêumanne é uma espécie de dublê de humorista que encarnaria muito bem alguma personagem do Chico Anísio, mais pela semelhança física como pelo jeito caricato de pronunciar seus textos demagógicos do que pelo talento em si.

Além de escrever no Jornal da Tarde, este paraibano faz proselitismo político na Rádio Jovem Pan, mas se destaca mesmo é por sua obstinação paranoica em tentar, sem sucesso, desconstruir a imagem do ex-presidente Lula no Jornal do SBT, usando o bordão “direto ao assunto”.

Não havia a menor dúvida que Jô Soares iria levantar a bola para as cortadas enviesadas do seu entrevistado, como, de fato, acabou acontecendo. Mas por quê convocar um alienígena de outra rede se no almoxarifado global há tantos paus mandados ávidos para executar o trabalho sujo?

A resposta para este pequeno mistério surgiu há 15 dias, numa matéria de Alex Solnik intitulada “A vanguarda popular da direita sai do armário” — e com o subtítulo “O que pretendem os jovens brasileiros de direita, liderados pelo Instituto Millenium”.

Ali estava a chave: Instituto Millenium, uma ativa e milionária organização financiada por grandes empresas, composta por 450 colaboradores especializados em disseminar ideologias de direita em um número cada vez maior de veículos de comunicação no Brasil.

Estes “especialistas” abundam atualmente nas várias mídias insuflando a rapaziada desinformada com um discurso tosco de criminalização dos setores progressistas, dos movimentos sociais, das minorias e contra qualquer política social, do Bolsa Família às cotas nas universidades.

Questionado, José Nêumanne Pinto não admite que esteja na folha de pagamentos para influenciar a opinião pública com suas teses reacionárias, mas por algum sortilégio tanto a sua foto quanto o seu nome completo se destacam na lista de colaboradores do tal instituto.

Já que nega o recebimento de seu mensalão na confraria de inspiração golpista, deve ter sido por cumprir espontânea, adestrada e caninamente o seu script que, ao final do deprimente talk show, recebeu como cúmplice recompensa um beijo do Gordo.

Deixe um comentário simpático neste artigo: