Garoto encontra mamute com mais de 30 mil anos na Rússia

Mamute na Era do Gelo

DESCONGELANDO O MAMUTE

Do blog ECOnsciência

Criança encontra mamute de 30 mil anos no norte da Rússia. Cientistas já consideram este fóssil o segundo mais bem preservado na história da paleontologia.

Evgeny Salinder, de apenas 11 anos, ainda não sabe exatamente o que quer ser quando crescer. No entanto, o jovem russo descobriu nesta semana que possui uma enorme vocação para seguir a carreira de paleontologista.

Enquanto andava pelas redondezas do vilarejo de Sopkarga, no norte da Rússia, ele tropeçou no cadáver de um mamute. Só que não era um bicho comum: ele tinha mais de 30 mil anos, o maior já descoberto em um século.

Os cientistas consideram este fóssil o segundo mais bem preservado na história da paleontologia.

Vulgarmente, o animal recebeu o nome de “Zhenya”, que é o apelido de Evgeny. No entanto, seu nome oficial foi definido como Sopkarginsky, uma homenagem à cidade onde foi encontrado.

Perícias iniciais indicam que o mamute era um macho e que morreu com 15 ou 16 anos.

Mamute pré-histórico

Diferente de outras descobertas, Zhenya possui pele, músculos, gordura e vísceras muito bem preservadas. Ao todo, o organismo pesa quase 500 quilos.

Cientistas também perceberam que o animal apresenta uma espécie de corcova nas costas e que essa saliência não ocorre por conta de formações ósseas.

A principal hipótese é de que se trate de um acúmulo de gordura utilizado pelo animal para suportar invernos rigorosos.

“Em gravuras paleolíticas, todos já se perguntavam por que os mamutes possuíam uma corcova”, explicou o secretário da Academia de Ciências da Rússia, Alexei Tikhonov.

Para ele, “havia a hipótese de que essas saliências ocorriam por conta de suas grandes vértebras. No entanto, agora percebemos que aquilo armazenava energia para o inverno e que este é um animal perfeitamente adaptado à vida em regiões árticas”.

A partir de agora, pesquisadores estudarão a descoberta de Evgeny em museus de zoologia e paleontologia em Moscou e São Petersburgo.

Via Opera Mundi

Deixe um comentário interessante neste artigo: