Aparelhado para gostar de passarinhos sou feliz por isso

Enfeite de pássaro para vasos de flores

APANHADOR DE DESPERDÍCIOS – MANOEL DE BARROS

Uso a palavra para compor meus silêncios.
Não gosto das palavras
fatigadas de informar.
Dou mais respeito
às que vivem de barriga no chão
tipo água pedra sapo.
Entendo bem o sotaque das águas
Dou respeito às coisas desimportantes
e aos seres desimportantes.
Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas mais que a dos mísseis.
Tenho em mim um atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância de ser feliz por isso.
Meu quintal é maior do que o mundo.
Sou um apanhador de desperdícios:
Amo os restos
como as boas moscas.
Queria que a minha voz tivesse um formato
de canto.
Porque eu não sou da informática:
eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios.

Pássaros de metal

Os pássaros que ilustram o famoso poema de Manoel de Barros (compartilhado do perfil da nossa amiga Adriana Santos no Facebook) compõem uma ampla coleção de enfeites de jardim da GVega.

A empresa é formada por um trio de designers e artesãos argentino, suíço e escocês, radicado em Marbella, na Espanha, e especializado na aplicação de camadas de cerâmica sobre chapas de aço inox.

Justamente pelo uso de técnicas complexas, embora de pequenas dimensões (12 cm de comprimento), as peças para decorar gramados alcançam valores bastante altos para os nossos padrões.

Uma alternativa econômica e visual é aplicar no metal pintura com tinta craquelê, protegida por uma grossa camada de verniz automotivo. Interessados em projetos assim podem entrar em Contato.

Clique nas imagens para ampliar e nos links destacados no texto para ver e saber mais.

Deixe um comentário simpático neste artigo: