PRODUTOS
artesanato

objetos decoração acessórios bijuterias jóias cofres brindes

xadrez

tabuleiros peças criatividade jogos raciocínio inteligência

veículos

customização jeeps clássicos volantes manoplas reformas

inovação

criação design tecnologia matrizes protótipos projetos

webdesign

sites construção otimização conteúdos consultoria blogs

Início » arte, artesanato, artigos, decoração, design

Discos de vinil reciclados na decoração de ambientes

Enviado por em 1 de agosto de 2010 – 21:0030 Comentários

Artesanato - decoração com discos de vinil

Revoadas de borboletas que parecem eclodir de antigos toca-discos – ou vitrolas – fixados na parede ou de um cantinho no chão. Este frenético efeito visual está entre as mais criativas soluções encontradas para a decoração de ambientes com a reciclagem dos velhos discos musicais de vinil.

A autoria é do artista plástico norte-americano Paul Villinsky, de 50 anos, que vem se notabilizando especialmente pelos jogos de luz e sombra obtidos com os long-plays recortados também na forma de pássaros negros e detalhes coloridos das etiquetas. O movimento cenográfico é alcançado com o uso de delicadas hastes que mantém as peças afastadas da parede.

O que mais impressiona é a simplicidade da confecção do conjunto da obra que pode ser visto em inúmeras imagens aqui, em seu site pessoal.

O que fazer com velhos discos de vinil

Objetos artesanais com discos long-play de vinil

Decoração - borboletas artesanais com velhos discos de vinil

Discos de vinil reciclados na decoração de ambientes

30 Comentários »

  • julio disse:

    Gostaria d saber como fixar as borboletas na parede?Percebi q tem um arame fixado na borboleta e o arame na parede…estou com essa duvida…gostaria de alguma ajuda!!!

    [Responder]

    Yuri disse:

    Pois é, Júlio.
    Os arames são bem finos mas dá para vê-los nas imagens ampliadas.

    Para ficar firme é melhor utilizar um arame fino de aço inoxidável temperado ou aço-mola inoxidável. Dessa forma fica armado sem despencar e sem enferrujar.
    Isso é fácil de comprar em lojas de ferramentas ou de ferragens especializadas.

    Para prender na parede pode-se usar pequenos parafusos com bucha, rebaixados (abaixo da superfície da parede).
    Depois é só cobrir com massa corrida (massa de parede) para arrematar.
    Um pintura depois da massa seca deixará seu trabalho perfeito.

    Voilá!!!

    [Responder]

  • andre disse:

    Como você faz este movimento de que as borboletas estão com as asas abertas? Não entendi esta parte.
    Dá pra explicar?
    E as anteninhas delas são de que material??

    Agradecido.

    André

    [Responder]

    YURI disse:

    Você se refere, André, àquela dobra no meio do corpo da borboleta para que não fique plana, certo?

    É fácil resolver: apoie com uma das mãos a metade do vinil já recortado na borda ou quina viva de uma mesa (de fórmica, por exemplo). Deixe a outra banda para fora, no ar.

    A seguir aqueça aos poucos o miolo com ‘ar quente’ de um secador de cabelos até que o material comece a amolecer levemente.

    Desligue o aparelho e, com os dedos da mão livre, faça um vinco para baixo até o ângulo desejado. Imediatamente após mergulhe a peça numa bacia com água fria para endurecer de novo.

    Se errar, esquente outra vez, e acerte a posição das asas e, assim, sucessivamente.

    Já para confeccionar as antenas você pode utilizar um arame dobrado, como grampos de cabelo meio abertos. Use fios finos de latão, desses que se compra a metro, em várias medidas, nas lojas de material de construção ou artesanato.

    A vantagem é que não enferrujam, são relativamente macios e fáceis de cortar, aceitam pintura ou polimento para posterior aplicação de verniz, caso queira manter o seu brilho dourado.

    As pontas podem ser engrossadas com papel enrolado ou, simplesmente, com gotas de verniz ou tinta grossa, que endurecem bem rápido com o uso do secador enquanto são giradas devagar.

    No mais, André, é por mãos à obra e correr para o abraço com os elogios depois que o trabalho estiver fixado na parede.

    Abraços, Yuri.

    [Responder]

  • [...] mais sobre os discos de vinil transformados em artes no site www.materiaincognita.com.br Mais Procuradasazulejos banheira Banheiras banheiras de luxo banheiras modernas Banheiro [...]

  • Samara Brando disse:

    Olá, tens como passar passo a passo de como fazer esse tipo de decoração de borboletas…

    obrigada!!

    [Responder]

  • rose disse:

    gostaria de comprar

    [Responder]

    YURI disse:

    Oi Rose.

    Estão vendendo, por exemplo, no endereço abaixo um set com 5 borboletas por 20 dólares, o que sai a 4 cada unidade. Caro? Me parece bem mais barato meter mãos à obra e fazer em casa mesmo. Além de ser mais divertido, não acha?

    Aqui: http://www.etsy.com/listing/92763467/vinyl-record-butterfly-wall-hangings

    [Responder]

  • marcelle costa disse:

    Ola amigo…
    Obrigada pelas otimas dicas…
    Pelo que entendi damos a forma que desejarmos ao disco de vinil com a maquininha de retifica fazendo pequenos furos sucessivos… seguindo o molde de papel ja colado dobre o disco de vinil… depois polimos para ficar lisinho… seria isso?
    Tenho medo de comprar o equipamento e nao saber utilizar…

    abracos!

    [Responder]

    YURI disse:

    Não! Você não faz sequências de furos, Marcelle. É muito melhor: você sai recortando o material ao seu belprazer. Pode até fazer furos, se quiser, caso componham o visual do desenho escolhido.

    A maquininha não é uma furadeira fixa. Ela é manual, móvel, e você pode sair desenhando ou desbastando as superfícies de tudo quanto é tipo de material – como vinil, acrílicos, plásticos, garrafas PET, madeiras, MDF, chapas de metais macios, latão, cobre, alumínio etc etc etc.

    Até ouro e prata! O que significa que você vai poder polir suas belas joias que estejam um pouco arranhadas pelo uso constante.

    Se você comprar umas fresinhas com ponta diamantada, pode até fazer desenhos de flores em baixo relevo ou o que queira sobre a superfície de vidros e por aí afora. Eu uso mais de 100 limas rotativas e fresas de variados perfis. Vivo disso.

    Este equipamento é extremamente versátil para quem gosta ou se dedica a trabalhar ou desenvolver projetos de artesanato. Tem 12 velocidades reguláveis e ainda pode ser adaptado a pedal acelerador.

    Como te disse acima, Marcelle: sendo o caso, dá até para viver desse tipo de equipamento. É o meu caso, já que o utilizo na fabricação de componentes de grandes placas e painéis para casas comerciais, como vamos mostrar em breve aqui no site.

    Assista ao vídeo demonstrativo no YouTube que você vai entender direitinho, ok? Nesta página que vai abrir tem vários links com mais vídeos sobre outras aplicações. Abraços.

    Aqui: http://www.youtube.com/watch?v=adDU-5HXgB8

    [Responder]

  • marcelle costa disse:

    Ola amigo… adorei a ideia com os dicos de vinil… me ajude por favor… como faço para dar movimento nas borboletas, ou seja, dobrar um vinil não é nada facil… para q as borboletas não fiquem chapadas na parede… e sobre o corte é feito com a tesoura mesmo? e depois passa a lixa?
    obrigada querido…

    [Responder]

    YURI disse:

    Oi, Marcelle. Para te ajudar vou colar uma dica que já havia dado num outro post sobre relógios de vinil.

    Essas borboletas, assim como outros perfis – não só de vinil, como de acrílico ou MDF, por exemplo –, para quem tem muita bala da agulha e um esquema industrial por trás, são cortadas na base de pantógrafos ou raios laser, que são máquinas bastante caras para produção em larga escala.

    Não dá para usar tesouras manuais nem tentar o corte a quente, tipo derretendo o material. Não dá certo.

    Para quem gosta de se dedicar à fabricação artesanal, o ideal é usar umas maquininhas muito versáteis e baratas que chamamos de MICRORRETÍFICAS ROTATIVAS, parecidas com aquelas usadas por joalheiros e gravadores de vidro ou placas comemorativas de metal.

    Depois de desenhar direto na superfície do disco ou colar um molde adesivo impresso em computador ou mesmo feito à mão, você pode sair esculpindo a peça com as fresas ou limas rotativas fixadas na ponta do equipamento. É super jeitoso de se trabalhar.

    Sem qualquer interesse comercial nisso, podemos indicar os aparelhos da marca DREMEL, que são de ótima qualidade e fácil manutenção para esse tipo de trabalho como uma infinidades de outros. Nós mesmos, inclusive, utilizamos alguns deles em nosso atelier.

    Dê uma olhada aqui para conhecê-los e também o kit de acessórios que acompanha o estojo:

    http://www.dremel.com.br/ferramentas/serie300.html

    Estão à venda em várias lojas de ferramentas e de produtos eletrônicos. A Casa & Vídeo normalmente oferece o equipamento em boas condições de preço final – na faixa de R$ 199,00 financiáveis – parece que devido aos grandes volumes que costuma comercializar. Confira no link abaixo mas não deixe de consultar outros fornecedores:

    http://www.casaevideo.com.br/Parafusadeiras-e-Microrretificas/4-18-2464-95157/Microrretifica-10-Acessorios-Serie-300-Dremel.html

    Leia mais em: http://www.materiaincognita.com.br/relogios-de-parede-com-discos-de-vinil-reciclados/#ixzz1oYOLO3bN

    Na ponta dessas maquininhas tem pinças para fixação das limas rotativas e fresas, que podem ser adquiridas na medida certa em lojas de ferramentaria ou de brocas para dentistas. Também há lixas giratórias acompanhando os kits. O polimento é feito com escovinhas de feltro (rotativas) impregnadas com cera de polimento para acrílicos.

    Tudo isso se encontra com facilidade em casas especializadas em grandes centros urbanos. É só pesquisar, ok?

    E agora o melhor: dobrar o vinil é a coisa mais fácil do mundo, sim senhora! (rsrsrs)

    Como se faz? Alinhe a peça ao longo da posição da dobradura na borda de uma mesa de quina reta e viva, tipo fórmica, por exemplo. Na metade sobre a mesa ponha um peso ou alguém segurando e mantenha a outra banda para fora, no ar.

    Agora é que vem: sobre a peça, diretamente no ponto onde fica a quina da mesa, aplique um pouco de calor com o seu secador de cabelos. Vá esquentando a uma distância segura até que o vinil comece a amolecer. Aí você faz a dobra, ajusta no ângulo desejado e mergulha numa bacia ou molha na torneira para esfriar. Pronto.

    Você pode fazer dobras em ângulos agudos ou arredondados, isso fica ao seu gosto. É só testar antes com algumas pontas ou sobras do material cortado. Tem várias maneiras de fazer isso.

    Enfim, espero que tenha sido útil, Marcelle. Boa sorte e, qualquer coisa, grite por help.

    [Responder]

  • ELIZA disse:

    Amei. Assim nunca tinha visto. Muito criativo. Nem vou tentar fazer pois vai além da minha capacidade. Bjs, parabéns.

    [Responder]

  • isamar lavor disse:

    bom dia,
    adorei essas borboletas de vinil. futuramente vou fazer uma festa para minha filha e estou colecionando material para esta festa, que dos anos dourados. por favor me envia o molde ou quanto custa. estou ansiosa pelo resultado.
    obrigada
    isamar

    [Responder]

    Yuri Vandereer disse:

    Nós não temos modelos prontos para fornecer, Isa. O que costumamos fazer é pesquisar ideias de moldes, contornos e desenhos vetoriais diretamente da rede.

    Para isso, fazemos buscas por palavras-chave em inglês, tipo butterfly + silhouette, shape, stencil e vector, por exemplo, porque nos sites lá de fora tem muito mais opções do que por aqui.

    Aí salvamos as imagens, ampliamos os modelos escolhidos até o tamanho que caiba na superfície do disco e imprimimos. Depois é só recortar com a tesoura, passar cola permanente (dessas que vende em potinhos nas papelarias), grudar o molde sobre o vinil, fazer o desbaste dos contornos com uma micro-retífica e dar o acabamento com lixa d’água molhada de grão fino.

    Não tem muitos mistérios nisso. Veja, por exemplo, a dica que dei abaixo no comentário da Marilsa Assis.

    Se ajudar, você pode também consultar esses três links:

    http://www.easyvectors.com/browse/animals/black-butterfly-silhouettes-free-vectors

    http://freephotoshop.org/2010/11/butterfly-shapes/

    http://webdesignerlab.com/resources/free-butterfly-shapes

    Qualquer coisa entre novamente em contato, combinado? Boa sorte.

    [Responder]

  • Giane Zanchetta Peron disse:

    Favor me enviem o passo a passo para fazer as borboletas amei a ideia!

    [Responder]

    YURI disse:

    Oi Giane. Veja a resposta abaixo no comentário da Marilsa Assis. Abs.

    [Responder]

  • elssa j. silva disse:

    achei líndo, poderia me enviar o passo a passo.

    [Responder]

    YURI disse:

    Elssa, dei uma dica no comentário da Marilsa, logo aí abaixo. Dê uma olhada nos links. ; )

    [Responder]

  • [...] Veja mais sobre os discos de vinil transformados em artes no site www.materiaincognita.com.br [...]

  • Erica disse:

    Perfeitoooooo!
    Parabéns.

    [Responder]

  • ERIKA disse:

    PERFEITO! Poderia me enviar o passo a passo decoração borboletas com disco? Aguardo… Obrigada!

    [Responder]

    Yuri disse:

    Confira, Erika, os mesmo links que sugeri logo abaixo para a Marilsa.

    [Responder]

  • Marilsa Assis disse:

    gostaria de obter o passo a passo destas borboletas que são lindas
    grato
    marilsa

    [Responder]

    Yuri disse:

    Não encontrei na rede um processo passo-a-passo para te indicar, Marilsa, mas sugiro que você dê uma olhadinha nos comentários desses dois links abaixo. Acredito que possam ser úteis. Abs e boa sorte, Yuri.

    1. http://www.materiaincognita.com.br/relogios-de-parede-com-discos-de-vinil-reciclados/

    2. http://www.materiaincognita.com.br/joias-e-bijuterias-com-discos-velhos-de-vinil-reciclados/

    [Responder]

    Marilsa disse:

    vc vende estas borboletas e por quanto sai cada uma, gostaria de obte-las, mande-me tudo discriminado, inclusive como fazer pagamento
    grato.
    marilsa

    [Responder]

    Yuri disse:

    Não, Marilsa, fiz o post só para dar a dica porque achei o trabalho genial. Mas você acaba de me dar uma boa ideia… rsrs. Vou pensar a respeito e lhe informar depois.

    [Responder]

  • Nivia O. Castro disse:

    Deixa eu dar uma dica procês: quem quiser fazer algo parecido, se for o caso pode escapulir da dificuldade de fixar hastes na parede. Ou então furos, que são um problema. É só grudar o vinil direto.

    Lojas de acessórios de automóveis vendem uns rolinhos com uma fita adesiva grossa e super poderosa, tipo dupla face, que é utilizada para colar borrachões de proteção nas laterais dos carros. E aquilo não cai assim não, nem molhando!

    É bem legal porque ela adere a qualquer superfície lisa e é tão forte que suporta até peças laqueadas de mdf, como pequenos quadros, por exemplo. Coisinhas leves como discos de vinil, então, é a maior tranquilidade. Com a vantagem de poder mudar de lugar a qualquer hora.

    Como vendem também em pedaços, a varejo, eu sugiro que se faça uns testes antes de comprar os rolos. Experimentei e deu muito certo para várias situações. OK?

    [Responder]

    Leonardo disse:

    grudar o vinil direto não dará o efeito de sombra, a borboletas ficrão atachadas na parede, sendo assim prefiro os adesivos.

    [Responder]

  • Vital disse:

    A série de pássaros desse cara tb é muito criativa. Vc podia mostrar isso num outro post. Por sinal, o tema vinil reciclado é bem extenso. Dá mto assunto.

    [Responder]

Comente!

Adicione um comentário abaixo, ou trackback para o seu site. Você pode também inscrever-se para esse comentário via RSS.

Seja elegante. Mantenha-se dentro do assunto, não escreva tudo em maiúsculas e, claro, sem Spam.

Imagem de SEGURANÇA
(necessário)


Top