Concreto vivo: bactérias misturadas ao cimento ‘curam’ rachaduras

Concreto inteligente

VEDANDO INFILTRAÇÕES POR CONTA PRÓPRIA

Do blog ECOnsciência

Uma das maiores dores de cabeça de quem se mete em construção é quando o concreto — de uma laje, por exemplo — cisma de trincar. Acontece muito.

Em zonas rurais do Brasil a sabedoria popular ensina o uso de uma lama feita de esterco bovino para vedar as rachaduras. E funciona muito bem.

Só que a partir de agora o mais importante material da construção civil poderá ter um futuro ainda mais brilhante nas obras onde é utilizado.

É que uma equipe da Universidade de Delft, na Holanda, descobriu uma forma de fazer com que o concreto “se cure” sozinho de eventuais rachaduras.

Esta seria uma solução econômica vital para situações em que a ação do tempo é capaz de prejudicar grandes estruturas, como pontes e viadutos.

Cimento biológico

A nova fórmula do concreto traz bactérias inofensivas aos humanos, que entram em ação com o simples contato com a água, criando calcário e consertando as infiltrações por conta própria.

Com isso, o concreto poderia ser continuamente reconstituído com a ação da chuva.

Henk Jonkers, o microbiologista autor do projeto, afirmou que rachaduras de 0,5 mm de largura já foram completamente sanadas apenas com a ação da água.

Caso as pesquisas avancem, como se espera, a previsão é que o novo tipo de concreto seja comercializado em, no máximo, três anos.

No entanto, isso depende do sucesso da sua aplicação em estruturas reais e da resistência do concreto com a mistura para o uso em grandes quantidades.

No Dvice

Deixe um comentário simpático neste artigo: