Como surgiu o Dia das Crianças no Brasil e no mundo

Semana do Bebê Robusto

INTERESSES DISTINTOS

Na bucólica década de 20 do século passado, sabe-se lá com que motivação política, o então deputado federal Galdino do Valle Filho, sugeriu criar um dia para homenagear as crianças brasileiras.

O presidente do país naquela época, Arthur Bernardes, aprovou o decreto nº 4867, em 05 de novembro de 1924, regulamentando a data de 12 de outubro como o “Dia das Crianças” oficial do Brasil.

Comercialmente, a data só passou a ser comemorada 40 anos após a sua criação, quando a empresa Johnson & Johnson se uniu à fábrica de brinquedos Estrela para lançar a “Semana do Bebê Robusto” em busca de aumento nas vendas.

Devido ao grande sucesso da estratégia das duas empresas, outras companhias copiaram a ideia, tornando o 12 de outubro, depois do Natal, o dia mais esperado pelas crianças, comerciantes e fabricantes de brinquedos.

A DATA DA ONU

Já o primeiro Dia Mundial da Criança foi comemorado em 1950, por motivos bem mais nobres.

Após a 2ª Guerra Mundial, em 1945, Europa e Oriente, devastados, entraram em crise econômica. As populações destas regiões viviam muito mal, em especial as crianças.

Os adultos estavam preocupados em retornar à sua vida cotidiana normal, relegando a educação a último plano. Muitos ficaram órfãos, havia fome e condições desumanas de sobrevivência. Crianças que ainda tinham seus pais vivos tiveram de ir trabalhar pesado para contribuir para o sustento da família.

Foi quando, em 1946, a Organização das Nações Unidas começou a tentar mudar esta situação. Deu-se então o surgimento da UNICEF, que é conhecida mundialmente pelo que faz pelas crianças no mundo.

Apesar de todos os esforços naquela altura, ainda era difícil fazer com que o mundo olhasse para os direitos das crianças.

Então, em 1950, a Federação Democrática Internacional das Mulheres, propôs à ONU que fosse criado um dia dedicado às crianças em todo o mundo. Este dia foi comemorado pela primeira vez em 1 de junho de 1950.

A ONU reconheceu desde então que qualquer criança, independentemente da raça, cor e sexo, tem o direito a:

— amor e compreensão
— alimentação
— cuidados médicos
— educação
— proteção contra todas as formas de exploração
— crescer num clima de Paz

Em 20 de Novembro de 1959 estes direitos foram passados para o papel. Legalmente aprovada a “Declaração dos Direitos das Crianças”, foi um reconhecimento muito importante, embora seus postulados nem sempre sejam cumpridos.

Esta Declaração trata-se de uma lista de 10 princípios. Em 1989, a ONU aprovou a “Convenção sobre os Direitos da Criança”, que é um documento com um conjunto de leis para a proteção dos mais jovens; e em 1990 tornou-se lei internacional.

Leia mais no Mundo das Tribos

Deixe um comentário interessante neste artigo: