Célula solar reciclável realiza a fotossíntese artificial

ENERGIA LIMPA QUE BROTA DOS VEGETAIS

Fotossíntese das Plantas

Desde bastante cedo a gente aprende na escola que as folhas dos vegetais funcionam como células solares naturais, usando a luz do Sol para produzir a energia química que dá vida às plantas. É o efeito da boa e velha fotossíntese.

Em níveis mais avançados, ficamos sabendo que em sua busca por uma forma de replicar essa captação de energia limpa, há muito tempo os cientistas tentam criar mecanismos para realizar a tão sonhada fotossíntese artificial.

Pois bem, só que agora eles parecem, enfim, ter chegado bem perto dessa meta, criando uma célula solar feita parcialmente de materiais retirados das árvores.

Uma equipe das universidades da Geórgia e Michigan, ambas nos EUA, conseguiu desenvolver células solares com bom nível de eficiência usando substratos naturais derivados da biomassa.

O material das plantas é transformado em nanocelulose, ou celulose nanocristalina, um material que já vinha despertando interesse para a substituição dos plásticos derivados do petróleo e — importante! — até para a construção de órgãos artificiais em implantes.

Os substratos de nanocelulose são transparentes, permitindo que a luz os atravesse para chegar até uma fina camada de um semicondutor orgânico.

CÉLULA SOLAR RECICLÁVEL

Uma das grandes vantagens da nova abordagem científica é que a nova célula solar é totalmente reciclável.

Depois de retirada de seu invólucro, basta mergulhá-la em água para que ela se dissolva em seus componentes originais. Como todo o material é orgânico, elas também podem ser queimadas.

Até então, as células solares orgânicas vinham sendo fabricadas principalmente em substratos de vidro ou plástico, que são mais difíceis de reciclar.

Há também células solares impressas em papel, mas o desempenho ainda não é bom por causa da rugosidade natural do papel.

Os protótipos da célula solar de nanocelulose atingiram uma eficiência de 2,7% na conversão da luz do Sol em eletricidade, o que é bom para uma célula solar em início de desenvolvimento.

“Nosso próximo passo será trabalhar para melhorar a eficiência de conversão acima dos 10%, um nível similar ao das células solares fabricadas sobre vidro ou substratos derivados do petróleo,” disse o professor Bernard Kippelen, coordenador do trabalho.

As células solares orgânicas são flexíveis e podem ser produzidas com técnicas de impressão, o que as torna potencialmente muito baratas.

Com Inovação Tecnológica

Deixe um comentário interessante neste artigo: