Bosozoku Girls – a moda gangue das garotas japonesas da pesada

A NOVA JUVENTUDE TRANSVIADA ORIENTAL

A indústria do vestuário e acessórios pessoais incorporou uma enorme variedade de elementos fashion, enquanto as oficinas de customização de motos absorveram o estilo radical das carenagens coloridas.

Do Japão para o mundo se espalha a moda inspirada no jeito de vestir e de se comportar das Bosozoku Girls, a versão feminina da juventude marginal nipônica, organizadas em gangues de motociclistas.

Gangue juvenil japonesa

Como qualquer lugar do mundo, o Japão também tem sua grande parcela desajustada e delinquente de adolescentes, que geralmente fazem parte de grupos denominados como “subculturas”.

E os que mais se destacam são os Bosozoku, cuja tradução pode ser definida como Tribo de Execução Violenta. Geralmente fazem parte menores com 16 a 19 anos (no Japão a maioridade é aos 20 anos).

Como é típico da idade, andam pelas ruas em bandos promovendo arruaças, praticando infrações no trânsito, assim como provocando acidentes pelos lugares onde passam.

Dentre os delitos, as mais comuns são andar em alta velocidade, guiar em zigue-zague, ultrapassar sinais vermelhos, praticar rachas, não usar capacete e manter o som bastante alto.

Gangue juvenil japonesa

Além disso, gostam de aterrorizar com suas motocicletas modificadas, de escapamentos barulhentos e estilizadas com pinturas e adesivos que simbolizam a gangue à qual pertencem.

Esse tipo de ajuntamento surgiu em 1950, junto com a grande explosão da indústria automotiva, tendo como auge as décadas de 80 e 90. Daí em diante entraram em decadência, junto com a economia.

Mas se tornaram um grave problema nacional, por sua forte ligação com a máfia Yakuza, para cometer toda a sorte de crimes. Enfim, o resto é história.

Gangue juvenil japonesa

Hoje as garotas são mais propensas a mostrar suas garras de cores brilhantes e grandes tatuagens, assim como as motocicletas enfeitadas com flores e pintadas em tons espalhafatosos.

Normalmente, os trajes tradicionais se assemelham aos ninjas e samurais, com os nomes das gangues, slogans e símbolos estampados ou bordados nas costas.

Mas há quem prefira as botas ou coturnos retrô, casacos longos e calças militares numa combinação com jaquetas de pilotos kamikazes da Segunda Guerra e uniformes da Marinha dos EUA.

Gangue juvenil japonesa

Outra característica é o uso de bandeiras imperiais japonesas ou portar tacos de baiseball e espadas. Hoje são apenas acessórios decorativos que, eventualmente, podem ser usados em brigas.

E, assim, as Bosozoku Girls vão divulgando os novos estilos da moda gangue, com a ajuda da internet.

De alguma forma elas estão rompendo com os velhos estereótipos de gênero e desafiando os tradicionais papéis domésticos ainda reservados às mulheres no Japão moderno.

Em suas próprias palavras, elas querem provar que “as mulheres japonesas podem cuidar do seu próprio nariz”. De um jeito esquisito, é verdade, mas que parece funcionar.

Deixe um comentário interessante neste artigo: