Bateria de batata ilumina cômodo da casa por mais de um mês

BRINCADEIRA DE CRIANÇA VIRA COISA SÉRIA

Luz de batatas

Se você não faltou a todas as aulas de Ciências nos tempos de escola, quando era pequenininh@, o mais provável é que tenha visto ou aprendido a fazer baterias com batatas.

Mesmo não sendo ainda a solução para a crise energética que pode atingir o planeta, quem iria imaginar que aquela diversão científica, na prática, pudesse ter algum futuro?

Então, acredite se quiser: cientistas israelenses descobriram que essa aparente brincadeira é perfeitamente capaz de iluminar um aposento de casa durante mais de trinta dias.

E mais: as previsões apontam que a batata, por ser uma das culturas mais fáceis e vastas da agricultura, será o carro chefe do combate à fome no mundo nas décadas que virão.

O uso dela para fazer baterias artesanais nunca foi encarado com muita seriedade, mas pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém potencializaram essa função.

Eles descobriram que, cozida, a batata gera dez vezes mais energia do que crua. Basta prensar um quarto do tubérculo cozido entre um anodo de zinco e um cátodo de cobre.

PREÇO 10 VEZES MAIS EM CONTA

Com esta técnica, a equipe israelense conseguiu iluminar um quarto com lâmpadas por até quarenta dias, a um preço dez vezes menor do que uma bateria alcalina comum.

Uma batata, obviamente, não é uma fonte inesgotável de energia. Ela apenas conduz quimicamente a eletricidade através dos dois pólos metálicos – bananas e morangos também fazer isso.

A grande diferença é que a batata é mais abundante, resistente e fácil de armazenar dos que as frágeis frutas, o que a torna a matéria-prima ideal para esse tipo de uso alternativo.

Os pesquisadores projetam que ela realmente pode servir como alternativa energética em países em desenvolvimento, que não contam com grandes usinas para suprir suas necessidades.

Não é uma tarefa simples, por razões que vão desde a concorrência com outras fontes renováveis, como a energia eólica e a solar, até a simples miopia inovadora dos governantes.

Mesmo que em alguns lugares não haja batatas sequer para alimentar a população, quanto mais para se fazer baterias, não deixa de existir um cenário com algum futuro em potencial.

Deixe um comentário interessante neste artigo: