Apple retira programa homofóbico para iPhones, iPod e tablets iPad

Logo da Apple

Do blog O Chefe de Redação

A gigante Apple, segunda maior empresa do planeta e que produz aparelhos eletrônicos e de informática, não teve peito de encarar uma recente petição assinada até agora em tempo recorde por 146 mil pessoas em todo o mundo.

Sob pressão e correndo o sério risco de arranhar a imagem de sua marca, a companhia de Steve Jobs retirou o aplicativo denunciado como homofóbico de sua loja virtual, acessível nos iPhones, nos tablets iPad e no iPod.

O anúncio foi feito pela própria organização estadunidense de extrema-direita que patrocinava a instalação e disseminação do tal programa.

A Exodus International propala a divina missão de “ajudar as pessoas a libertar-se da homossexualidade, se assim o desejarem”. Para ela, trata-se de uma “doença”, a cujo tratamento todos os gays deveriam ser submetidos.

“Estamos extremamente decepcionados de saber que a Apple nos negou uma presença equitativa em praça pública”, disse o presidente da Exodus International, Alan Chambers, em comunicado.

A Exodus se autoproclama uma organização cristã “que ajuda os que lutam contra a indesejada atração pelo mesmo sexo a viver uma vida de acordo com os ensinamentos bíblicos”.

O autor do aplicativo Exodus recebeu o aviso da Apple de que seu programa seria retirado de suas transmissões on-line porque o considerava “insultante para um amplo leque de pessoas”, segundo a associação.

Daqui

* * *

O Chefe de Redação

Deixe um comentário simpático neste artigo: