Amizades reais detonadas pela baixaria nas redes sociais

CADA UM SÓ PODE OFERECER O QUE TEM

Brigas no Facebook

Era uma vez um velho sábio chamado Akbar. Ele chegou a um pequeno povoado para compartilhar os seus conhecimentos.

Só que os seus conselhos não conseguiram interessar à população e, depois de algum tempo, ele virou motivo de riso e ironia.

Um dia, um grupo de homens e mulheres começou a insultar o sábio, a dizer palavras baixas e humilhantes…

Ao invés de fingir que ignorava o que acontecia, o sábio foi até eles e desejou a todos um bom dia…

Fez-se um silêncio… E um dos homens comentou:

— Será que além de tudo, estamos diante de um homem surdo? Gritamos coisas horríveis e o senhor nos responde com uma saudação!

O velho sábio olhou a todos e disse calmamente:

— Cada um de nós só pode oferecer o que tem – virou as costas e foi embora…

Brigas em redes sociais

Na internet não é muito diferente do que acontece na fábula.

Desrespeito e insultos online estão acabando com amizades, à medida que as pessoas vão ficando cada vez mais rudes nas mídias sociais.

Pesquisa da VitalSmarts  também mostrou que dois em cada cinco usuários cortaram relações após uma briga virtual.

Assim como o uso das mídias sociais cresceu, a falta de civilidade também aumentou, com 78% de 2.698 pessoas entrevistadas tendo relatado um aumento das grosserias na internet.

As pessoas não hesitam em ser menos educadas online do que ao vivo, segundo o levantamento.

Uma em cada cinco pessoas reduziu seu contato pessoal com alguém que conhece na vida real depois de uma briga pela internet.

Pior: as brigas online muitas vezes se tornam brigas na vida real, com 19% das pessoas bloqueando ou cancelando amizades com alguém por causa de uma discussão virtual.

Uma das conclusões é que mundo mudou e uma parte importante das relações acontece online, mas os modos ainda não acompanharam a tecnologia.

O que realmente surpreende é que muitas pessoas desaprovam esse comportamento, mas as pessoas ainda estão fazendo isso. “Por que você xingaria online, mas nunca na cara da pessoa?”, pergunta a consultoria.

Baixaria nas redes sociais

Dados do Pew Research Center mostram que 67% dos adultos conectados à internet nos EUA usam sites de redes sociais, dos quais o Facebook é o mais popular, enquanto os últimos números mostram que mais da metade da população britânica tem conta na rede social.

A pesquisa acontece após uma série de desentendimentos pela internet envolvendo personalidades, que atraíram grande atenção da mídia.

O jogador de futebol inglês Joey Barton, do Olympique de Marseille, foi convocado pelo comitê de ética da federação francesa após chamar o zagueiro brasileiro Thiago Silva, do Paris St Germain, de “travesti acima do peso” no Twitter.

O boxeador Curtis Woodhouse foi amplamente elogiado após ter rastreado uma pessoa no Twitter que o chamou de “desgraça completa” e um “piada” após uma derrota, indo até a casa do autor das críticas para cobrar um pedido de desculpas.

Alguns entrevistados tinham suas próprias histórias, como uma família que não se fala há dois anos porque um homem publicou na Internet uma foto embaraçosa de sua irmã e recusou-se a removê-la. Em vez disso, espalhou a foto para todos os seus contatos.

As tensões nos locais de trabalho também foram transferidas para conversas através da internet, nas quais funcionários falam de forma negativa de um companheiro.

“As pessoas parecem ser conscientes de que este tipo de conversa importante não deve acontecer nas mídias sociais, mas, apesar disso, também parecem ter o impulso de resolver as emoções de forma imediata e através deste tipo de canal”, ressalta a pesquisa.

Deixe um comentário interessante neste artigo: