A trama inédita por trás da renúncia do papa Bento XVI

ABRE-SE A CAIXA DE PANDORA DA IGREJA

Vaticano: corrupção, sexo e dinheiro

O Chefe de Redação

Dia após dia, a Caixa de Pandora deixa escapar suas piores sombras.

Os demônios que a cúria romana escondeu durante tantas décadas passeiam à noite como espectros ressuscitados pela Praça São Pedro: corrupção, sexo e dinheiro.

Uma trilogia explosiva assim ninguém poderia imaginar instalada na cúpula da Santa Sé. Nem Dan Brown em seus romances mais infernais.

A hierarquia da Igreja vive, sem dúvida, seu pior momento de decomposição ética na inédita trama da renúncia do papa.

As guerras entre a cúria, a disputa por dinheiro e poder, e um ninho de corvos pedófilos tardiamente reconhecidos, deixaram órfãos de autoridade moral e terrena milhões e milhões de fiéis em todo o mundo.

Em sua profunda fé eles são, também, vítimas da explosão da Igreja Católica.

Leia a impressionante narrativa de Eduardo Febbro na Carta Maior.

* * *

O Chefe de Redação

Deixe um comentário simpático neste artigo: