A solidão vazada do poeta mineiro Romério Rômulo

Poesia de Romério Rômulo

A Cachaça da Happy Hour (em 20/09/2009)

QUANDO NASCI

quando nasci
uns bêbados diziam de eu ser cavalo,
um porco do cerrado,
um cachorro do mato.

bebi todos os copos que me abriram,
resvalei nas puras tempestades,
interpretei o ranço do silêncio.

bastardo da vida, fiz sobrar meu rasos.

os rios me interrogaram de águas,
rasgaram minha garganta de luzes.
quantos peixes nadaram minha cara de cão?
mesmo plantas, do mato todas, se disseram de mim.
sobrou – da memória – a solidão vazada.

Romério Rômulo é poeta, blogueiro militante e professor de Economia Política da UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, em Minas Gerais.

* * *

Blog da Nívia de Oliveira Castro

2 comentários em “A solidão vazada do poeta mineiro Romério Rômulo

  • 20 de setembro de 2009 em 17:07
    Permalink

    Oi Romério, que surpresa você rastrear tão rapidinho essa postagem. Jóia! Imaginei que fosse levar algumas semanas. Rsrsrs.

    Na realidade eu já acompanho seu ativismo na blogosfera há bastante tempo e também admiro muito o seu trabalho. Aí, como esse era o post de número 50 deste recém-criado blog, resolvi comemorar com uma homenagem ao prezado conterrâneo das Geraes.

    Espero que não se importe com o link permanente que instalei na ‘side bar’. Qualquer coisa dê um grito daí que eu escuto bem e retiro numa boa. Mas a ideia, claro, é compartilhar e contribuir na divulgação pra esse monte de gente que todos os dias nos prestigia aqui.

    Um abraço e salve você, Poeta!

    Nivia

    Resposta
  • 20 de setembro de 2009 em 16:23
    Permalink

    nívia:
    obrigado pela publicação do meu poema.
    e salve a cachaça araci !
    um grande abraço.
    romério

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: