Mesinhas de centro com tampos de tronco e metal estilo Kintsugi

RECICLAGEM DE MADEIRA LEMBRA A ARTE JAPONESA – Tampos para mesinhas com fatias de troncos de árvores com a estética da arte Kintsugi para restauração de porcelanas. Mas, ao contrário do uso do ouro pelos japoneses, as gretas e buracos nas “bolachas” de madeira foram preenchidos com metal prateado.

Ler mais

Buraco em tampo de mesa antiga restaurado com metal fundido

RECICLAGEM DE BANCADA INDUSTRIAL COM PEWTER – Uma antiga bancada industrial com pés de madeira foi revitalizada com um novo tampo de bordas onduladas para ser utilizada como mesa de escritório numa empresa. As cavidades e rachaduras em torno do nó da madeira foram preenchidas com pewter derretido.

Ler mais

Vídeo sobre preconceitos e julgamentos a respeito dos outros

CAMPANHA ‘O AMOR NÃO TEM RÓTULOS’

Muitos de nós fazemos julgamentos precipitados com base no que vemos, seja de raça, idade, gênero, religião, sexualidade ou deficiência.

No entanto, a maioria de nós nem sequer está consciente que faz esse juízo de valor. É por isso que ele é chamado de preconceito implícito.

Ler mais

Laranjas e tangerinas com cinco lados para dar sorte nas provas

DOCE AROMA DE SUCESSO NO VESTIBULAR

Frutas cítricas modeladas como pentágonos são tradicionalmente cultivadas no Japão, com a ajuda de forminhas de madeira.

Conhecidas como ‘Gokaku no Iyokan’ elas são apreciadas pelos estudantes, não para comer, mas como amuletos de boa sorte.

Ler mais

Como são as festas e comemorações de réveillon em outros países

A CACHAÇA DA HAPPY HOUR
No Brasil, tudo é meio megalomaníaco, como a espetacular queima de fogos de artíficio na praia de Copacabana durante o Réveillon.

Mas quase todos os países do mundo têm algo que os caracteriza de maneira diferenciada na hora de celebrar a chegada do Ano Novo.

Ler mais

Dossiê expõe perigo do ACTA à liberdade na Internet

O CHEFE DE REDAÇÃO
Um acordo internacional negociado sigilosamente, que parecia abordar temas como o combate aos produtos falsificados, afinal se revela como um atentado à liberdade na Internet.

O monstro que atende pelo nome de ACTA foi assinado por 31 países mas ainda pode ser barrado, porque nenhum Estado o ratificou.

Ler mais