Brasil cresce também no ranking dos investimentos produtivos

O CHEFE DE REDAÇÃO
Na ausência de propostas concretas para o país a grande mídia conservadora faz alarde sobre a ‘crise’ instaurada entre governo e base aliada.

Já os agentes econômicos acham que o Brasil vive seu momento de maior estabilidade política dos últimos anos, o que contribui para que as empresas internacionais investam mais no país.

Ler mais

Com a Europa em crise Alemanha investe mais no Brasil

O CHEFE DE REDAÇÃO
A Alemanha decidiu intensificar relações com mercados em franca expansão econômica.

O governo alemão quer incrementar negócios e parcerias com os ’emergentes’, especialmente Brasil, China e Índia.

E para tanto, aprovou diretrizes de política externa para lidar com as ‘novas potências em formação’.

Ler mais

Japão perde força e influência como potência exportadora

O CHEFE DE REDAÇÃO
Uma das maiores potências exportadoras do mundo está perdendo força.

Durante décadas, o Japão usou o poder industrial e sua política de comércio exterior voltada à exportação para inundar o mundo com carros, eletrônicos e semicondutores.

Hoje isso acabou.

Ler mais

Tijolos maciços na construção da nova economia mundial

O CHEFE DE REDAÇÃO
Estão previstas profundas alterações até 2020 no ranking das economias mundiais através da subida dos chamados países emergentes para os lugares dos — por enquanto — principais atores da União Europeia.

Nada, enfim, será como hoje no Top 10 das economias mundiais dentro de até 8 anos.

Ler mais

Estouro da bolha de crédito na China ameaça economia dos BRICs

O CHEFE DE REDAÇÃO
A bolha de crédito da China finalmente estourou. O mercado imobiliário balança descontroladamente.

O pouso suave que os chineses pretendiam está indo muito errado e os riscos giram fora de controle.

É hora de redobrar a atenção também por aqui.

Ler mais

Brasil sobe para a 6ª economia mundial agora em 2011

O CHEFE DE REDAÇÃO
O Brasil está subindo este ano para a posição de 6ª maior economia do mundo, ao ultrapassar o posto até então ocupado pela Inglaterra.

Mantendo o ritmo de crescimento atual, até o fim da década o PIB brasileiro se tornará maior do que o de qualquer país europeu.

Ler mais