Vício em fast-food altera DNA e é transmitido aos descendentes

HAMBÚRGER MODIFICA O CÓDIGO GENÉTICO

Viciado em sanduíches

O consumo regular de alimentos nocivos como, por exemplo, hambúrguer, pizza, sorvete e fast-food em geral, ameaça a saúde não somente com a obesidade, mas também prejudica o DNA da pessoa.

O organismo pode obter “cicatrizes” tão profundas, que estas mudanças serão transmitidas ao código genético da geração seguinte, juntamente com uma propensão invencível de consumir o fast-food.

Pesquisadores do Instituto Nacional de Alergia e de Doenças Infecciosas de Maryland, EUA, lembram que “o corpo humano é um sistema ecológico em miniatura e que tudo que afeta o equilíbrio das bactérias existentes no organismo pode exercer também uma influência irreversível sobre a saúde”.

DE PAI PARA FILHO

Por exemplo, o consumo constante do fast-food mina o sistema imunológico, aumenta o risco de se contrair vários tipos de doenças infecciosas, de reações alérgicas e, em casos mais graves, do câncer.

Estas mudanças abalam a estrutura de defesa do corpo, enfraquecendo a sua resistência, que é transmitida aos seus descendentes — ou seja, os filhos “pagam” pela alimentação incorreta dos pais.

“É especialmente nociva a dieta ocidental com abundância de pratos gordurosos e com carboidratos. A sua difusão é responsável pelo aumento brusco da incidência de doenças autoimunes nos países em que anteriormente este índice era bastante baixo”, alerta o autor da pesquisa Ian Myles.

Deixe um comentário interessante neste artigo: