Viagra levanta flores murchas e Taron anima as mulheres

Flor Azul Viagra

UM VIAGRA FEMININO

Do blog BananaPost

No bairro da Liberdade em São Paulo, um farmacêutico japonês anuncia a descoberta do Viagra feminino. A notícia causa surpresa no meio científico e leva dezenas de repórteres até a farmácia do japa. Lá chegando, reúnem-se todos para uma coletiva.

O primeiro jornalista pergunta:

— Então, é certo mesmo que o senhor descobriu o Viagra para a mulher?

— Sim, claro que sim, non!

— E qual foi o nome dado para o produto? — pergunta outro repórter.

— Nome do produto é TARON.

— E funciona mesmo?

— Craro, né? Quando você dá TARON pra mulher, ela fica carinhosa, alegre, beija e abraça você!

Outro jornalista exclama:

— Puxa, esse produto é fantástico mesmo!

— Sim! Sim! Sim! Muito bom! Garantido non! Funciona mesmo! Non falha, non!

— Mas o nome é mesmo… Taron?

— Sim, TARON! Para ser mais preciso chama-se TARON DE CHEQUE! Né?

FLORES EM PONTO DE BALA

Mas o que eu pretendia, depois desta rápida introdução, era dar uma dica sobre um problema comum de quem recebe flores. É que elas costumam durar pouco nos vasos.

Mesmo colocando em recipientes com água, é triste ver as flores lentamente murchando e morrendo. No verão, com o calor, aí é que elas não se mantêm em pé mesmo.

Existem algumas soluções comerciais que prometem aumentar a durabilidade das plantas depois de podadas dos pés. Só que, agora, apareceu uma notícia que parece dar uma luz ao que faz uma planta durar.

É possível fazer as plantas durarem cerca de uma semana a mais usando um comprimido do famoso remédio para impotência masculina diluído em água. Segundo o horticultor David Domoney, as plantas precisam apenas de 1mg de viagra, e um comprimido contém pelo menos 50mg!

A explicação para o curioso uso do medicamento objetivando manter saudáveis e duráveis as plantas cortadas é que um dos componentes do remédio é o óxido nítrico.

Para dar jeito na falência do pinguelo do sujeito, o óxido nítrico relaxa certos músculos da região do períneo, permitindo que um grande volume de sangue seja armazenado no tecido do corpo cavernoso do pênis, e assim se dá a ereção.

O horticultor, que tem um programa de TV nos EUA, garante que é isso mesmo, o viagra mantém as plantas em pé por pelo menos uma semana a mais.

MILIONÁRIO ACASO

E só de curiosidade, a história do Viagra é um belo exemplo de solução fora do lugar.

Em 1985, dois investigadores dos laboratórios farmacêuticos Pfizer, Simon Campbell e David Roberts, trabalhavam num remédio para o coração – até que descobriram que ele dilatava os vasos sanguíneos do pênis.

Aí alguém da Pfizer olhou e disse: Ei! Isso não é um efeito colateral, isso é uma máquina de fazer dinheiro!

O citrato de sildenafil era um poderoso agente eréctil, pois inibia uma enzima que limitava a produção de oxido nítrico.

A Pfizer patenteou o produto em 1996 e comercializaram-no com o nome de Viagra. Parece que o nome do medicamento deriva da antiga palavra oriental vyaghra, que significa “homem com força de tigre”.

Com Mundo Gump

Deixe um comentário interessante neste artigo: