Venda de carros despenca em Portugal mas bomba no Brasil

Indústria de automóveis em Portugal

INVERSÃO DE PAPEIS

Do blog HotGaragem

Veja como são as coisas: há pouco mais de 10 anos técnicos e metalúrgicos desempregados brasileiros juntavam suas economias para atravessar o Atlântico em busca de oportunidades na promissora indústria automobilística europeia, especialmente em Portugal por causa do idioma.

Agora, a situação se inverteu com o desmonte do parque industrial lusitano pelas forças neoliberais que dizimam a economia da Europa. Apenas em território português, nada menos que 2 mil 500 empresas do setor fecharam em 2012, provocando a demissão de 21 mil trabalhadores.

Segundo dados da ACAP — Associação Automóvel de Portugal, a venda de carros registrou uma espetacular queda de 41% no ano passado devido à diminuição do rendimento das famílias. Isto equivale a um retrocesso a valores de 1985, ou cerca de 95 mil automóveis colocados no mercado.

Enquanto isso, livre das amarras do FMI e dos credores internacionais, o Brasil carimbou em 2012 um crescimento de 6% na venda de automóveis e comerciais leves novos sobre o ano anterior, ou um total de 3 milhões 634 mil unidades, batendo o sexto recorde anual consecutivo.

O volume superou até as vendas totais de veículos de 2011 que, incluindo caminhões e ônibus, somaram 3,633 milhões de unidades. O vigor do segmento surpreendeu até a associação de distribuidores de veículos, Fenabrave, que tinha a expectativa de que o aumento das vendas chegasse a 4 ou 4,8% em 2012.

Mas o que, por aqui, já era bom deve ficar ainda melhor pois as concessionárias de veículos estimam aumento de 3% nas vendas de automóveis e comerciais leves novos em 2013, mesmo sem descontos no IPI — Imposto sobre Produtos Industrializados.

Pelos pedidos registrados em carteira, a Fenabrave também aposta num vigoroso avanço de 16% nas vendas de caminhões novos neste ano. É tudo festa, menos para a velha mídia que vai continuar escondendo as boas notícias e, como de hábito, metendo o malho em tudo.

Deixe um comentário simpático neste artigo: