Twitter vai ter que dedurar tuiteiros racistas e homofóbicos

Ódio pelo Twitter

INTOLERÂNCIA E ÓDIO VIGIADOS

A Cachaça da Happy Hour

Começou pelo Twitter e espera-se que agora o Facebook aprenda o risco que corre e se antecipe, entregando à Justiça as contas de racistas, homofóbicos, misóginos, neonazistas e pretensos humoristas preconceituosos, tipo aqueles que habitaram (e ainda habitam) o CQC, da Band.

O microblog recebeu ordens de um tribunal francês para que revele detalhes das contas de usuários que postam mensagens de incitação ao preconceito e à intolerância, o que pode ser um passo significativo contra a homofobia, o racismo e o antissemitismo na rede social.

A Alta Corte de Paris decidiu que o Twitter deve dar detalhes de usuários que postaram mensagens ofensivas no site, a pedido de vários grupos anti-ódio. Isso depois que o Governo francês sugeriu, recentemente, que o Twitter deveria lutar contra estes conteúdos nos tweets, potencialmente contrários às leis sobre o discurso do ódio.

Nos últimos meses, hashtags (palavras-chave ou termos relevantes associado a uma informação antecedidas pelo símbolo “#”) ofensivas viraram tendência. Um exemplo foi a hashtag “#SiMonFilsEstGay” (se meu filho fosse gay). Os usuários especulavam sobre a dor, tortura ou tratamento degradante que dariam a um filho gay, ou outro parente.

Outros exemplos foram: “#UnBonJuif” (um bom judeu), “#UnJuifMort” (um judeu morto), “#SiMaFilleRameneUnNoir” (se a minha filha traz para casa um homem negro) e “#SiJetaisNazi” (se eu fosse um nazista) onde os usuários listados enumeravam vários atos fascistas ou racistas que poderiam realizar.

Quando solicitado pelos grupos que procurarem os responsáveis pelo site, que já adiantaram que não hesitarão em fazê-lo, o Twitter poderá enfrentar multas de até US $ 1.300 (£ 825) por cada dia que deixar de entregar detalhes das contas em questão.

Além das multas, o tribunal solicitou ao Twitter que crie um sistema, na França, para tornar mais fácil aos usuários, que se sentirem ofendidos, sinalizar o conteúdo ilegal.

Segundo a lei francesa, os culpados de incitar o ódio racial podem ser presos por até um ano, além de serem obrigados a pagar uma multa, cujo valor é determinado pelo Juiz.

Já um porta-voz do Twitter declarou: “Estamos atualmente revendo a decisão do tribunal e decidindo se vamos apelar”.

Segundo a Liga Internacional contra o Racismo e o Antissemitismo, “isto marca um passo decisivo na luta contra os crimes racistas, homofóbicos e antissemitas na Internet. Ninguém pode ignorar a lei francesa, nem mesmo os gigantes da economia americana digital.”

No ano passado, o Instituto de Estudos de Minorias Sexuais da Universidade de Alberta e os serviços de rastreamento de publicações do Twitter, mostraram que a palavra “bicha” foi usada mais de 2,5 milhões de vezes, entre julho e setembro de 2012. E em apenas uma semana, estava em 219.000 tweets.

Com Nossos Tons

Um comentário em “Twitter vai ter que dedurar tuiteiros racistas e homofóbicos

  • 30 de janeiro de 2013 em 19:56
    Permalink

    É só entrar na “Dona Justa” que ela manda a martelada no bolso desses otários, que é onde dói mais:

    A 1ª Vara Cível de Sorocaba determinou que um usuário do Facebook apague comentários considerados ofensivos feitos a uma mulher. A autora do processo entrou na justiça alegando que esse homem passou a ofendê-la na rede social após ela ter pedido demissão da empresa em que trabalhava

    O juiz determinou que o réu, a partir da intimação, exclua todo o conteúdo ofensivo apontado no processo, sob pena de multa diária de R$ 3 mil, até o limite de R$ 9 mil. Deve, ainda, se abster de publicar outras mensagens ofensivas, sob pena de multa de R$ 1 mil a cada evento.

    http://www.internetlegal.com.br/2013/01/liminar-em-sorocaba-determina-exclusao-de-comentarios-ofensivos-no-facebook/

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: