Turistas brasileiros arrebentam a boca do balão em Nova York

Turistas New York

BIG APPLE VERDE-E-AMARELA

O Chefe de Redação

A velha mídia porta-voz da direita ganhou novo motivo para repercutir com mais força o chororô da elite decadente com a incômoda presença do povão nativo passeando pela Broadway.

O número de turistas brasileiros esporrentos em Nova York cresceu 447% entre 2006 e 2012, comemorou o prefeito da cidade, Michael Bloomberg, feliz com a grana que deixamos por lá.

No total, a Big Apple bateu o recorde de visitantes no ano que se encerrou, com espantosos 52 milhões de turistas — alta de 2,1% em relação a 2011.

A maioria dos visitantes que vai à cidade é norte-americana, ou 41 milhões de pessoas em 2012. Os estrangeiros somaram 11 milhões e fizeram de Nova York o principal destino turístico nos EUA.

Os brasileiros foram seguidos pelos chineses (442%), argentinos (258%) e australianos (157%). Foi em 2006 que Nova York começou uma estratégia para atrair mais turistas estrangeiros.

Os visitantes domésticos e estrangeiros gastaram US$ 37 bilhões na cidade em 2012, mas geraram um impacto total na economia local de US$ 55 bilhões.

Viagem de turismo em New York

Nos hotéis, foram feitas 29 milhões de reservas em 2012. O setor hoteleiro emprega 356 mil pessoas na metrópole e gerou receita de meio bilhão de dólares em taxas para o município.

Segundo o prefeito Bloomberg, a meta é atingir 55 milhões de visitantes em 2015, com impacto total na economia de US$ 70 bilhões.

Essa revoada de brasileiros a passeio em NY é uma conjugação de dois fatores: a consolidação da nova classe média, que já representa 55% da nossa população, e a agressiva política de atração de turistas brasileiros por parte do governo Obama.

A aposta do presidente reeleito é valorizar o turismo para amenizar a grave crise financeira e combater o desemprego que há quase quatro anos supera os 8%.

Além de flexibilizar o processo de emissão de vistos em seus consulados e na embaixada em Brasília, está previsto o fim da exigência para a entrada de brasileiros em território norte-americano até 2016.

Com Estadão

Deixe um comentário simpático neste artigo: