Tartarugas marinhas começam a desovar nas praias brasileiras

LITORAL VIRA BERÇÁRIO DE TARTARUGUINHAS

Arribada - desova das tartarugas na Costa Rica

Começou em setembro a temporada de desova das tartarugas marinhas, com a chegada ao litoral brasileiro das fêmeas reprodutoras das espécies cabeçuda e oliva.

Em seguida, aportam em nossas praias as tartarugas de couro e, depois, a tartaruga pente, em dezembro. A tartaruga verde encerrará o espetáculo da vida em janeiro.

A postura dos ovos ocorre nas praias dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Rio Grande do Norte e, a partir de janeiro, de Fernando de Noronha.

Em média, os filhotes das tartarugas começam a nascer dois meses após a desova. Significa que, já no final de novembro, as primeiras tartaruguinhas vão correr pelas areias.

Monitorado por oceanógrafos, o Projeto Tamar contará com o apoio de mais de 500 pescadores-tartarugueiros nos cinco estados, além de veterinários e voluntários.

Este exército de pessoas trabalha para que os animais tenham sucesso não só em termos de segurança, mas também de pesquisa científica.

O roubo dos ovos e a matança de fêmeas praticamente não existe mais. Tanto que hoje aumentou bastante a população de tartarugas desovando em comparação há cinco anos.

A nova geração de tartarugas fêmeas reprodutoras, protegidas nos últimos 30 anos, que ficaram adultas, começaram a acasalar e ter filhotes, é estimada em 21 mil animais.

Atualmente, o processo de desova abrange 7 mil fêmeas por ano, responsáveis pela postura de ovos que geram cerca de 1 milhão 200 mil filhotes monitorados pelo Projeto Tamar.

Na América Central o processo começou nesta mesma época. Só que lá, a “arribada” (ou chegada) das tartarugas resulta na desova de inacreditáveis 1 bilhão 600 milhões de ovos.

Clique na imagem para ampliar e nos links sublinhados para saber mais.

Deixe um comentário simpático neste artigo: