Suas informações pessoais ainda se voltarão contra você

QUEM E POR QUE BISBILHOTA A SUA VIDA?

Vigilância das redes sociais

O Chefe de Redação

Você desabafou por mensagem de email contra a política externa de algum país? Falou mal por celular de algum presidente ou líder político específico? Pois saiba que certas palavras-chave ditas ou escritas provocaram a imediata interceptação do conteúdo por algum serviço secreto poderoso.

Mas você pode facilitar ainda mais o trabalho dos órgãos de segurança adicionando o máximo de informações sobre si mesmo em redes sociais. Aí você tem que estar pronto para os piores cenários hipotéticos em que estas informações poderão, futuramente, ser utilizadas contra você.

Além disso, qualquer dado disponível na Internet e aos quais temos livre acesso podem ser recolhidos com a ajuda de sistemas de pesquisa, sem falar de softwares específicos para tal função.

Redes Sociais Vigiadas

Por este motivo, a questão que se coloca é “quem é que pode estar interessado nisso?”.

Claro, não apenas governos tirânicos e covardes, mas cibercriminosos em geral. Assim, não é nada bom disponibilizar informações mais íntimas sobre parentes próximos, publicar fotos de familiares e locais que você costuma visitar, bem como dados referentes aos bens imóveis e aos meios de transporte.

Como já chegamos ao ponto em que o “grampo” já é praticamente absoluto — isto é, somos vigiados tanto no espaço virtual quanto na vida real, embora muita gente não faça a menor ideia sobre a extensão disso — é que recomendamos a leitura do artigo O Mundo Inteiro sob Vigilância Total.

Ótimo para os distraídos que ficam dando mole na rede, como também somos capazes de observar…

Deixe um comentário interessante neste artigo: