Spam Social é a nova praga que ameaça Twitter e Facebook

Spam Social no Facebook e Twitter

INVASÃO ALARMANTE

A Cachaça da Happy Hour

O Spam Social é uma ameaça mais nociva do que a enviada por email porque a velocidade com que se espalha é muito maior devido à alta capacidade de viralização dos conteúdos publicados nas redes sociais. Somente pelo Facebook, cerca de 4 milhões de pessoas são atingidas por essas pragas diariamente, ou seja, o volume de spams cresce mais rápido do que a base de usuários da rede.

SPAMS AMEÇAM USUÁRIOS DE REDES SOCIAIS

por Bárbara Gengo *

Como se não bastasse a invasão que enfrentamos em nossas caixas de email, agora os spammers parecem ter encontrado um novo nicho de “mercado”. É cada vez mais freqüente o ataque desses remetentes maliciosos pelas redes sociais!

Pois é, os disseminadores de Spam resolveram se instalar onde, atualmente, se encontram as maiores concentrações de usuários. Além disso, com as constantes ações que os provedores de email vêm tomando para inibir essa prática, o envio de Spam por email está ficando cada dia mais difícil.

Neste novo cenário o Twitter e o Facebook estão sendo os principais canais de infiltração desse novo tipo de mensagem que já ganhou o nome de Spam Social e vem crescendo a passos alarmantes.

Ao contrário dos já tradicionais emails, que geralmente vêm de remetentes estranhos, o Spam Social se apresenta como um problema ainda maior por sempre vir dos amigos, ou seja, de pessoas da confiança e do círculo de amizades dos usuários.

Os malwares têm sido o tipo de ameaça mais utilizada pelos Hackers e aparecem como uma barreira para a utilidade das redes sociais.

Segundo dados divulgados pelo site do jornal norte-americano “The Wall Street Journal”, os administradores do Facebook informam que menos de 4% do conteúdo compartilhado no site é spam, enquanto o Twitter diz que apenas 1,5% das mensagens enviadas em 2010 continham spam.

De um modo geral, ainda que esses números possam parecer baixos, se transformarmos os valores em quantidade de pessoas, somente pelo Facebook, cerca de 4 milhões de pessoas são atingidas por essas ameaças diariamente, ou seja, o volume de spams está crescendo mais rápido do que a base de usuários da rede.

Para seduzir os usuários e fazer com que cliquem nos links maliciosos, a maioria dos malwares tem se apresentado em forma de promoções aparentemente irresistíveis.

Mas quando o usuário clica no link dessa promoção, ao invés de ter acesso a uma grande oportunidade, um programa passa a controlar seu navegador de internet, fazendo com que o link contaminado seja repassado involuntariamente para toda a lista de amigos deste usuário em uma velocidade impressionante.

Ou seja, todas as pessoas conectadas a este usuário passam a correr o risco de serem atingidas, já que pensam ter recebido uma mensagem pessoal, de um remetente conhecido.

Segundo especialistas, o Spam Social é ainda mais nocivo do que o email porque a velocidade com que as ameaças se espalham é muito maior devido à alta capacidade de viralização dos conteúdos publicados nas redes sociais.

Mesmo sem ainda possuírem condições efetivas de prevenir os ataques, estas redes sociais estão tomando certos cuidados para fortalecer a segurança e dificultar ao máximo a criação e o uso de perfis falsos.

Uma das resoluções do Facebook é enviar mensagens de confirmação para os usuários.

Geralmente eles pedem para que o usuário confirme sua identidade, mesmo que a senha digitada estiver correta. Em alguns casos chegam a pedir para que esses usuários identifiquem alguns amigos. A ideia é se certificar de que é uma pessoa, e não um computador que está tentando acessar o site.

Para os executivos das redes as estratégias precisam ser pensadas a longo prazo, já que as ameaças nunca vão deixar de existir.

* Bárbara Gengo é analista de Comunicação da All In Mail

Deixe um comentário simpático neste artigo: