Solidariedade que aprendemos com voo dos gansos selvagens

Bando de pássaros em V

LIÇÕES DE COMPANHEIRISMO

A Cachaça da Happy Hour

Podemos aprender muito com os gansos selvagens — quando um animal bate as asas, por exemplo, voando numa formação em “V”.

Isto cria um vácuo para a ave seguinte passar, e o bando inteiro tem um desempenho 71% melhor do que se voasse sozinho.

Sempre que um ganso se arrisca a sair da formação, sente subitamente a resistência do ar por tentar voar sozinho.

Ele, então, volta rapidamente para a sua posição, aproveitando o vácuo da ave imediatamente à frente.

Quando um ganso líder se cansa, ele passa para trás e imediatamente outro assume seu lugar, voando para a posição da ponta.

Na formação, os gansos que estão atrás grasnam para encorajar os da frente a aumentar a velocidade.

Se um deles adoece, dois gansos deixam a formação original e seguem o companheiro doente, para ajudá-lo e protegê-lo.

As aves não abandonam o animal: ficam com ele até que esteja apto a voar de novo ou venha a morrer.

Só depois disso eles voltam ao procedimento normal com outra formação ou vão atrás de outro bando.

A lição dos gansos: pessoas que compartilham uma direção comum e senso de comunidade podem atingir mais facilmente os objetivos.

Para alcançá-los, é necessário estar junto com aqueles que se dirigem para onde queremos ir, dando e aceitando ajuda.

É preciso haver um revezamento na liderança e nas tarefas pesadas. As pessoas, assim como os gansos, dependem umas das outras.

Precisamos assegurar que nosso grasnido seja encorajador para a equipe e que a ajude a melhorar o seu desempenho.

É preciso estar ao lado dos colegas e nunca abandoná-los nos momentos difíceis.

Em A Procura

Deixe um comentário interessante neste artigo: