Risco de tsunami no litoral do Nordeste não passou de boato

Fundo do mar

MOVIMENTO LATERAL DAS PLACAS TECTÔNICAS

Do blog ECOnsciência

O perigo de ocorrência de um tsunami na costa brasileira teria sido real caso o terremoto próximo ao arquipélago de Fernando de Noronha fosse superior a 7 pontos — ou 10 vezes maior que os 6 graus na escala Richter registrados neste domingo, 15, no meio do oceano Atlântico.

Além disto o abalo somente traria riscos concretos desde que a placa tectônica sul-americana tivesse sido abruptamente empurrada para baixo da placa africana. Só que no meio do oceano Atlântico ocorre exatamente o contrário.

“As placas da América do Sul e da África estão se separando. Então, as chances de tsunami são remotas”, explicou  o professor George Sand França, do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB).

Placas sul-americana e africana

De acordo com França, a região do abalo é marcada por dois tipos de movimentos sismológicos: a separação dos continentes e o deslocamento paralelo das placas. “O terremoto de hoje foi provocado por esse movimento paralelo. É como se uma placa tivesse raspado na outra, sem consequências mais sérias”.

O tremor de terra de 6 graus na escala Richter foi registrado a 878 quilômetros do arquipélago de Fernando de Noronha com epicentro a 10 km abaixo do fundo do mar. A profundidade da água chega a 4 mil metros na região.

Segundo o Centro Nacional de Informações sobre Terremotos, nos Estados Unidos, o abalo ocorreu às 10h08 (horário de Brasília) a 415 quilômetros do arquipélago de São Pedro e São Paulo e a 1.276 quilômetros de Natal (RN).

Os bombeiros de Fernando de Noronha (PE) também afirmaram não ter registro de que o tremor tivesse sido sentido ou causado algum dano no local. Segundo eles, o dia de hoje foi normal como outro qualquer. Apenas em Natal, capital do Rio Grande do Norte, houve uma onda de boatos, logo desmentidos.

Tsunami na costa brasileira

Das agências noticiosas

* * *

Blog ECOnsciência Inovadora

Um comentário em “Risco de tsunami no litoral do Nordeste não passou de boato

  • 15 de maio de 2011 em 21:51
    Permalink

    Planeta parece um chocalho. Muito esquisito tudo isso. De tarde trepidou do lado oposto, na Papua-Guiné, Oceano Pacífico. 6,5 cravados na tabelinha oficial.

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: