Revista Veja volta ao topo dos TT’s do Twitter com #VejaPodreNoAr

Twitter hashtag

NAUFRÁGIO NO ESGOTO

O Chefe de Redação

Pela terceira vez em pouco mais de duas semanas a revista Veja chega ao primeiro lugar dos trending topics como o assunto mais comentado no Twitter em todo o mundo.

O protesto dos ativistas começou com a hashtag #VejaBandida; depois prosseguiu com #VejaGolpista; e, neste sábado, o movimento emplacou #VejaPodreNoAr.

A discussão, agora, passa a ser: até que ponto uma marca poderá resistir a tantos ataques provocados por tanta degradação no envolvimento com o crime organizado?

A mobilização cresce a cada semana e tende a continuar fermentando enquanto a publicação da Editora Abril não encarar de frente a discussão que dela se cobra.

Até que ponto é legítima a relação com fontes criminosas que se valem desse mesmo relacionamento para ampliar seus negócios e interesses políticos?

Até que ponto se deve estimular a indústria da arapongagem, premiando autores de filmes e fitas ilegais com reportagens que atendem a seus interesses?

Hoje se sabe que o mensalão foi uma farsa montada pela máfia do bicheiro Carlinhos Cachoeira para se vingar de membros do governo Lula, que atrapalharam seus negócios ilícitos.

A revista se associou à conspiração criminosa com o objetivo de levar o ex-presidente ao impeachment, através de matérias mentirosas e sensacionalistas.

Recentemente, o ator global José de Abreu revelou ao Blog da Cidadania que Roberto Civita estaria decidido, abertamente, a derrubar o governo Dilma.

Quando eclodiu o escândalo, logo que caiu a máscara de probidade do então senador pelo DEM de Goiás, Demóstenes Torres, vazou a informação — que a Veja e o resto da grande mídia insistiram em ignorar! — que havia mais de 200 telefonemas trocados entre o editor Policarpo Júnior e a quadrilha de Cachoeira, sobretudo com o próprio.

Somando os fatos, pode-se concluir que a revista Veja e seus rottweilers travestidos de “colunistas” e “blogueiros” até aqui abusaram da sorte, destaca o blogueiro Eduardo Guimarães.

Enfim, pelo que já vazou sobre o conjunto da obra da Operação Monte Carlo, os teleguiados de Roberto Civita e o próprio estão metidos até o pescoço no esquema mafioso.

Na Inglaterra, aconteceu coisa muito menos grave. Só que essa discussão foi levada a sério por jornalistas e parlamentares britânicos.

Rupert Murdoch, o maior empresário de comunicação do mundo, teve de depor numa CPI e um jornal centenário – o News of the World – saiu de circulação.

Neste fim, de semana, Veja foi também o tema de capa da revista Carta Capital e Roberto Civita foi comparado a Rupert Murdoch, considerado indigno de liderar meios de comunicação na Europa.

É uma comparação, para quem conhece Roberto Civita, que em outros tempos o envaideceria. Mas hoje alimenta o temor de que ele venha a ser convocado pela CPI do Cachoeira.

Capa da revista Veja

Com Brasil 247

Deixe um comentário simpático neste artigo: