Radicais promovem onda de ódio e preconceito no Twitter

Preconceito

ÓDIO DE MULHERES E NORDESTINOS

Ontem, 31, dia em que a primeira brasileira foi eleita Presidente da República – e que, por isso mesmo, deveria ser lembrado como a consagração da nossa democracia -, também ficou marcado como um dia em que o preconceito e o ódio tomaram conta do Twitter, tão popular que é no Brasil.

Como bem apurou o Mundo Tecno, um dia em que os nordestinos foram tratados de forma altamente discriminatória, “acusados” de serem os responsáveis pela eleição de Dilma Roussef. Ou seja, por todos os motivos, um dia para NÃO ser esquecido.

A reação veio rápida e certeira, na forma da hashtag #orgulhodesernordestino que, no meio da tarde desta segunda-feira, 01, ocupava a terceira posição no Top Trending Topics do sistema de microbloging. O suficiente para enquadrar os extremistas.

Aqui no blog, alguns trolls tentaram dar o ar da (falta de) graça, com comentários altamente ofensivos aos nossos irmãos do Nordeste e também contra as mulheres. O meu recurso foi despachá-los para a lista negra dos mecanismos de proteção e monitoramento da rede para que recebam a sua devida punição.


5 comentários em “Radicais promovem onda de ódio e preconceito no Twitter

  • 3 de novembro de 2010 em 07:40
    Permalink

    Li em algum lugar na Net:

    “São Paulo sofre da Síndrome de Estocolmo. Depois de duas décadas sofrendo com o PSDB, desenvolveu afeição pelo algoz. É o voto psiquiátrico.”

    Muita boa e verdadeira a sacada!

    Abs.

    Resposta
  • 1 de novembro de 2010 em 17:26
    Permalink

    Estes fascistas são tão imbecis (a charge tá ótima) que nem continha básica sabem fazer: a Dilma se elegeria de qualquer jeito sem contar com um único eleitor do Norte/Nordeste. Ainda sobrariam 839.695 votos – quase UM MILHÃO!

    Resposta
    • 1 de novembro de 2010 em 18:40
      Permalink

      Aeh, Paulo, saiu na Carta Maior, com informações do Valor:

      NEM O APARTHEID DERROTARIA DILMA

      Mesmo se o Nordeste – maior reduto eleitoral do PT – fosse excluído da eleição a candidata governista venceria Serra por um saldo de 1,3 milhão de votos, ou 0,9 ponto percentual (50,9% a 49,1%)

      Créu! Na armação do PIG e dos papagaios direitistas………

      Resposta

Deixe um comentário simpático no blog