Querer – os versos de amor de um humanista sul-americano

A POESIA APAIXONANTE DE PABLO NERUDA

Poesia QUERER, de Pablo Neruda

QUERER

Pablo Neruda *

Não te quero senão porque te quero
E de querer-te a não querer-te chego
E de esperar-te quando não te espero
Passa meu coração do frio ao fogo.

Te quero só porque a ti te quero,
Te odeio sem fim, e odiando-te rogo,
E a medida de meu amor viageiro
É não ver-te e amar-te como um cego.

Talvez consumirá a luz de janeiro
Seu raio cruel, meu coração inteiro,
Roubando-me a chave do sossego.

Nesta história só eu morro
E morrerei de amor porque te quero,
Porque te quero, amor, a sangue e a fogo.

* Poeta chileno cujos restos mortais foram exumados a 08 de abril de 2013 para esclarecer as circunstâncias da sua morte. Segundo a versão oficial, morreu de câncer em 23 de setembro de 1973, 12 dias depois do golpe militar perpetrado contra o seu amigo e presidente Salvador Allende. Mas testemunhos recentes evocaram um assassinato comandado pela ditadura, para evitar que Neruda se tornasse eventualmente um opositor de prestígio a partir do exílio.

Deixe um comentário interessante neste artigo: