Quem manda na midiocracia da velha mídia são os jornazistas

NOVAS PALAVRAS CRIADAS POR BLOGODITA

Repórter de TV

Nós temos algumas coisas em comum com René Amaral. Ele também é artista, petropolitano, blogueiro sujo e, claro, meio maluco. Mas nem de longe possuímos o humor sarcástico do “blogodita” e autor do ótimo blog Amoral Nato.

O título é um trocadilho com o nome de Amaral Netto, um dos mais reacionários repórteres que já passaram pela Rede Globo, com a missão quase exclusiva de enaltecer obras da ditadura militar. Confira o talento do cara:

GLOSSÁRIO DE NEOLOGISMOS DE ‘NOVUGUÊS’

Por René Amaral *

Quarenta anos atrás, quando li 1984 pela primeira vez, em português, achei o termo Novilíngua meio assim, estranho.

Não entendia inglês na época e não pesquei bem a tradução.

Fã de trocadilhos idiotas, pensei no Novuguês. Isso ficou na minha cabeça, meio adormecido, por anos a fio.

Em 1984 li de novo o último romance de Orwell, em inglês, quando morava em Londres. Lá, então, fisguei o peixe que havia deixado escapar anos antes.

Mas o Novuguês ficou na memória.

Hoje, antes que o pescado apodreça, comecei a desenvolver essa linguagem neológica, que de lógica nada tem.

Comecei com termos específicos que explicam melhor certos conceitos e realidades com os quais convivemos hoje.

Mais cedo cunhei o midiopia, situação de cegueira ou miopia seletiva que afeta membros da mídia.

É a dificuldade de identificar e enxergar o que está distante, o grande quadro, e de ver em detalhes microscopicamente nojentos o que está perto (dos olhos e do coração).

Puxando essa linha, cheguei à midiocracia, situação que substitui o conceito de que a mídia é o quarto poder.

Quem vive numa midiocracia pode ser chamado de diversas formas: midiota (derivado do antigo, mas mais limitado, vidiota), midíocre, e também midiocretino.

Engana-se, entretanto, quem pensa que os governantes de uma midiocracia são midiocratas.

O senso comum não vale no Novuguês, nem na midiocracia; quem manda na midiocracia são os jornazistas, que praticam o jornazismo.

Sua linha de pensamento e filosofia pode ser chamada de raciosuíno (criado em 2005), o pensamento do PiG — Partido da imprensa Golpista.

No campo da administração pública temos aqueles canalhas que roem o erário municipal, que batizei, em Novuguês, de verroedores.

Nas câmaras estaduais e federais, pelo menos enquanto durar o financiamento privado de campanha, temos os desputados.

E, que me perdoem as putas, por mais que neguem a ligação filial, estará sempre, lá na ortografia, de onde vem: de puta, dos!

O glossário é livre, fonte aberta, podem usar sem nem ao menos citar a minha humilde autoria, e acrescê-lo de quantos termos quiserem.

Somente peço que os postem nos comentários.

* Faça isso, no Amoral Nato

Deixe um comentário interessante neste artigo: