Provérbios populares sobre a comida acabam em poesia

Não adianta chorar

Por Edmar Mello, no Luis Nassif

Provérbios populares relacionados à comida. São adágios gastronômicos transformados em versos:

VERSEJANDO SOBRE ADÁGIOS POPULARES DE COMIDA

Não adianta chorar
Pelo leite derramado
Porque no frigir dos ovos
Só você é o culpado
Porém se chorar pitangas
E não segurar a franga
Vai ter o caldo entornado.

Venda seu peixe com calma
Que apressado come cru
E coma pelas beiradas
Mingau quente ou angu
Cozinhando em banho-maria
Você não entra em fria
E evita dar chabu.

Sem antes quebrar os ovos
Ninguém faz uma omelete
E se pisar no tomate
Ele amassa ou se derrete
Quem enfia o pé na jaca
Dando uma de babaca
Vai parar na internet.

Quem enche muita linguiça
Fala demais abobrinha
Troca alhos por bugalhos
Puxa a brasa pra sardinha
Depois não vê que a conversa
Distorcida e desconexa
Já chegou lá na cozinha.

Só metendo a mão na massa
Você sente a coisa andar
Não aceite abacaxi
Se for só pra descascar
Pois se o pepino não é seu
Devolva pra quem lhe deu
E mande às favas ou pastar.

A galinha enche o papo
Comendo de grão em grão
E farinha do mesmo saco
Também engrossa pirão
O pão que o diabo amassou
É igual pra quem provou
Batata quente nas mãos.

Com faca e queijo nas mãos
Até frouxo fala grosso
A carne é fraca, eu sei
Mas é melhor do que osso
Viajar na maionese
Só se compara em tese
Com a carne de pescoço.

Edmar Melo

Deixe um comentário simpático neste artigo: