Privataria neoliberal transforma viaturas policiais em táxis

Viatura policial - táxi

NOVA FROTA DE ‘TÁXIS’ GREGOS

A Cachaça da Happy Hour

O que para nós seria inaceitável, em razão dos altos índices de criminalidade, nos EUA é visto até com naturalidade, devido ao relativo sossego em pequenas cidades ou mesmo algumas de médio porte.

Devido à falta do que fazer, policiais estadunidenses costumam utilizar suas viaturas na prestação de serviços à comunidade ou simplesmente como táxis para cobrir despesas básicas com manutenção.

Só que o que se fez na Grécia beira as raias do escândalo. O consórcio formado por banqueiros e autoridades neoliberais simplesmente decidiu mercantilizar os precários serviços de segurança pública.

Assim, os gregos vão alugar os serviços de seus policiais e veículos de suas forças como carros, barcos e helicópteros para aumentar a receita do país, atualmente afundado em uma grave crise econômica.

O aluguel de uma hora dos serviços de um policial custará 30 euros (pouco mais de R$ 70) para particulares ou empresas. Dependendo da necessidade a taxa por hora pode subir para até R$ 470.

O aluguel de um carro de polícia custará 40 euros. Um barco patrulha custará 200 euros por hora e os helicópteros, 1.500 euros. Imagina quem vai se utilizar desses últimos? A elite financeira, claro.

O dinheiro gerado pela medida “pagará pelo uso da polícia, sua infraestrutura e permitirá sua modernização”, alegou por meio de um comunicado o ministério da Proteção ao Cidadão.

A dívida pública grega chega a 349 bilhões de euros, cerca de 150% de seu PIB. A Grécia passa pela maior recessão em sua história moderna e é alvo de brutal saque promovido pela banca internacional.

Eu não cheguei a ver e nem ouvir o que podem ter comentado a respeito a Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg — respectivamente urubólogos titulares da TV Globo e rádio CBN.

Também, nem precisa. Todos sabemos muito bem o que essa dupla de “analistas” emplumados acha de mais uma intervenção do deus mercado no patrimônio público… alheio.

Urubóloga Miriam Leitão

Com informações de Luis Nassif

Deixe um comentário interessante neste artigo: