Presença às vezes nem tão feminina assim na blogosfera

Blogueiras - a presença das "mulheres" na Internet

O humor em quadrinhos do Alexandre Affonso, apenas para curar a ressaca do rolo que aconteceu nos últimos dias envolvendo a blogosfera progressista e os chamados blogs sujos, num espetáculo – muito feio – de desagregação, ciúmes, vaidades, egolatria, carteiradas intelectuais, academicismos, misoginia, feminazis… enfim, para ajudar a desopilar o espírito desses termos recorrentes, até porque ninguém é de ferro.

10 comentários em “Presença às vezes nem tão feminina assim na blogosfera

  • 22 de dezembro de 2010 em 13:57
    Permalink

    Em minha opinião o desmonte feito pelo Miguel do Gonzum ficará como uma espécie de epitáfio desse imbroglio todo. Tanto assim que foi citado por um monte de gente, inclusive tendo sido upado até pelo LN:

    PROFESSOR, POSSO FALAR? (http://gonzum.com/?p=1248)

    E parabéns, Nivea, por você ter tomado partido nessa questão toda pelo que também pude ver nos seus comentários cheios de bom humor em outros blogs.

    Resposta
  • 21 de dezembro de 2010 em 13:29
    Permalink

    Espetáculo muito feio, concordo, estimulado por meia dúzia de gatos pingados, vaidosos e arrogantes, que se aproveitaram do gatilho feminazi para tentar impor do alto da cátedra, verticalmente, seus pontos de vista e alcançar mais visibilidade na net.

    Resposta
  • 21 de dezembro de 2010 em 11:22
    Permalink

    Pois é, provocaram um tsunami num copo d’água. Ah, faltou relacionar na sua listinha as “umbigadas”.

    Resposta
  • 21 de dezembro de 2010 em 09:34
    Permalink

    sacanagem… eu me chamo thamiris. perseguicao, soh pode.

    Resposta
  • 20 de dezembro de 2010 em 22:02
    Permalink

    No futuro ainda vamos rir muito do desperdício de energia mental, física e elétrica que foi para armar esse barraco. Não precisava de nada disso, hehehe.

    Resposta
    • 20 de dezembro de 2010 em 23:26
      Permalink

      Já foi assistir a um Fla-Flu no Maracanã? É igualzinho: quantas vezes a gente, do lado tricolor, fica assistindo de longe o cacete comendo lá no extremo oposto do estádio, entre os próprios rubro-negros. Uma coisa meio que autofágica, sem noção mesmo. Mas que é engraçado, é.

      Resposta
  • 20 de dezembro de 2010 em 15:47
    Permalink

    Bem gozada a charge e muito boas as suas duas indicações de links, Nívia. Aproveito para informar que o Rodrigo “Escrevinhador” Vianna também PASSOU O CEROL no desagregador (expatriado e metido a besta) que desencapou o fio e tochou altas voltagens de ranço intelectualoide na TOMADA de um grupelho de feministas ressentidas e outros oportunistas de plantão, não só contra o Nassif mas, sobretudo, com o intuito aparente de desarticular este movimento da blogosfera progressista tão arduamente construído ao longo de anos. Não conseguiu, o eletrochoque já voltou-se contra ele mesmo. Um abraço. W

    http://www.rodrigovianna.com.br/palavra-minha/nassif-e-a-esquerda-que-a-direita-adora.html

    Resposta
    • 20 de dezembro de 2010 em 16:31
      Permalink

      Busquei imagens da feminista Lola Aronovich no Google a fim de ver como ela era e tomei o mór susto. Só de olhar tá explicado o quiprocó em que o Nassif se meteu, o porquê da fúria desmedida contra o pobre do cara. A tal doutoura tem pinta mesmo de braba, meu… vai lá só pra ver.

      Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: