Preocupação com atual ciclo de intensos fenômenos naturais

BENZADEUS, A ÁGUA NÃO PARA DE SUBIR!

Inundações na Europa

Como dizem os mineiros, sangue de Jesus tem poder mas as previsões meteorológicas estão longe de ser otimistas: os aguaceiros continuarão na Europa Central. Enquanto isso, nos EUA, estão ativos os furacões. Desde o fim de maio, os tornados mataram mais de 50 pessoas.

Se, em Aracaju, capital de Sergipe, o mar engole condomínios de luxo e ameaça bairros inteiros, as prolongadas chuvas no continente europeu causam enchentes simultâneas em vários países, com particular incidência na República Tcheca, na Áustria e na Alemanha.

Na República Tcheca, foi decretado o estado de emergência, tendo sido retiradas pessoas das zonas mais perigosas. Foram fechadas muitas escolas e, no centro de Praga, foi suspensa a circulação de trem de metrô.

O jardim zoológico da cidade foi parcialmente evacuado. As águas do rio Vltava subiram acima do aterro de proteção e as equipes militares ajudam a construir novas fortificações.

INUNDAÇÕES NA EUROPA CENTRAL

O reforço dos militares será necessário ainda para as equipes de socorristas alemãs. A situação mais grave se criou na Baviera, Saxônia e outros Estados do sul. Foram suspensas a navegação nos rios Reno, Meno e Neckar e o tráfego ferroviário entre Munique e Salzburgo.

O nível de água continua subindo nos recursos aquáticos da Polônia e Suíça, podendo atingir o máximo nos rios e lagos em 4 de junho. As precipitações intensas deverão parar já na terça-feira, quando o tempo começar a normalizar-se, segundo o Departamento de Análise Global e Previsões Meteorológicas da Rússia.

Agora, na Inglaterra, se formou um anticiclone favorável que avançará em direção da Europa, afastando as chuvas para o leste. Amanhã, as precipitações irão cair na Polônia e na Bielorrússia..

Quanto ao tempo nos EUA, aí os prognósticos são menos otimistas. Os tornados prosseguem muito ativos nos Estados ocidentais, afetando, sobretudo, o estado de Oklahoma onde, em 22 de maio, pereceram mais de 20 pessoas e, ainda por cima, em 1 de junho, o furacão matou 15 moradores locais, segundo as informações preliminares.

ESTRAGOS NOS EUA

O maior problema consiste na impossibilidade de retirar as pessoas das zonas em perigo. Tornados costumam formar-se em condições idênticas às de tempestades normais. Por isso, podem-se fazer previsões sobre os seus efeitos, no máximo, três horas antes do início da calamidade.

Durante o dia e no período de verão, esta frente atmosférica será acompanhada por uma série inteira de outros fenômenos desfavoráveis – aguaceiros, trovoadas, granizo e fortes rajadas do vento. É certo que haverá intensidade de chuvas e formação de torvelinhos.

Mantém-se a ameaça de formação de novos furacões no leste dos EUA. Os habitantes locais foram avisados para não se afastar muito longe de abrigos e refúgios.

Deixe um comentário simpático neste artigo: