Praga de gafanhoto que invadiu Israel acaba em pizza

SER OU NÃO SER KOSHER… EIS A QUESTÃO!

Culinária Gafanhotos

Uma esquadrilha composta por milhões de gafanhotos, impulsionada por vento soprado do vizinho Egito, invadiu esta semana o território sul de Israel.

O inimigo foi recebido por agricultores e pelo governo como a praga bíblica que, faminta e descontrolada, devora e destrói as plantações em minutos.

Mas como combatê-la se a pesada artilharia antiaérea israelense só está treinada para derrubar alvos maiores, como mísseis e aviões de guerra?

Os próprios habitantes do território desértico do Neguev resolveram a parada partindo para o corpo-a-corpo e devorando literalmente o invasor.

As autoridades rabínicas ficaram preocupadas ao saber que a população transformou o limão numa limonada, ou em iguaria de uma nova culinária.

Agora, os hermeneutas perscrutam antiquíssimos textos sagrados para responder a pergunta que vai sustentar a sua sentença: comer gafanhoto é “kosher”?

O termo se refere aos alimentos adequados para o consumo de acordo com as leis do judaísmo. Por exemplo, a carne de porco não é “kosher”.

Isso porque o texto bíblico que legisla sobre a questão, cita quatro tipos desse artrópode que podem ser comidos. Os demais são considerados “impuros”.

Enquanto se busca o consenso sobre a quais espécies o texto se refere, num debate que pode durar 2 mil anos, a tendência é que a praga acabe em pizza.

Mais informações

Deixe um comentário interessante neste artigo: