Pobreza mental que se manifesta em todas as classes sociais

Renata, Flávia, Cássia, Cristina e Nívia de Oliveira Castro

Repasso a sátira que recebi por email da querida e involuntária colaboradora Renatinha — a primeira à esquerda da foto (veja perfil abaixo) — com uma ressalva apenas: já vi muito rico elitista e metido a besta armando barraco e fazendo coisa mais brega do que se segue abaixo:

OS 25 NOVOS SINTOMAS DE INDIGÊNCIA… MENTAL

(como disse, é impossível alguém não se identificar com pelo menos um deles)

01. DEGUSTAÇÃO EM SUPERMERCADO – Sabe aqueles balcõezinhos que de vez em quando aparecem no supermercado sempre com uma mocinha simpática e sorridente oferecendo alguma tranqueira pra você experimentar? Pois é, pobre adora isso. Quem é pobre adora comer qualquer coisa de graça. Experimenta até biscoito pra cachorro. Uma pobreza…

02. COMPRAR IPHONE NO MERCADO LIVRE – Fala sério… Isso é caso pra internar. Você acha que um iPhone de verdade custa 299 reais? Em qual planeta você vive? Além de pobre, é retardado.

03. TELHA E TIJOLO – A combinação é perfeita. Pobre atrai telha e tijolo feito ímã. Todo pobre que se preza tem que ter uma pilha de tijolos e telhas no quintal.

04. GRUDAR O SABONETE VELHO QUE ESTÁ ACABANDO NO NOVO QUE ACABOU DE TIRAR DA EMBALAGEM – Sem comentários!

05. SANDÁLIA HAVAIANA – Meu amigo, presta atenção… Só pode passear no shopping de sandália havaiana quem é rico. É fashion! Já o pobre passeando de havaiana é mulambento, porque na verdade ele usa a sandália “A Baiana”, ou seja, a genérica.

06. USAR TERNO NO FIM DE SEMANA – Ou é pobre ou é crente. Cruz credo! Rico só usa terno no escritório ou em casamento.

07. TAPETE NA PAREDE – Compra na 25 de Março (SP) um legítimo tapete persa “Made in Paraguay” e põe na parede, pra ninguém pisar.

08. FESTA NO McDONALD´S OU HABIB´S – Só pobre acha que festa naquela porcaria de lanchonete é chique. O cara comemora o aniversário dos filhos no McDonald´s, fica controlando o que a pirralhada come e depois soma os presentes recebidos para ver se a festa não deu prejuízo.

09. LAVAR CARRO NO FIM-DE-SEMANA – Cruz-credo, Santa pobreza! Você já viu alguém da Barra da Tijuca ou do Leblon lavando o carro? Em qualquer dia da semana que seja? Quem tem grana, manda lavar. A galera do salário-mínimo acha que é programa de fim-de-semana lavar o chevetão 75 na calçada, com o som ligado no último volume, tocando funk pra todo mundo ouvir. São criaturas dignas de pena!

10. CAPINHA DE CELULAR – Além de ser coisa de pobre é muito boiola. Só viadinho pobre não gosta do celular riscado. Quem tem grana compra outro quando o celular fica detonado.

11. TÁ ZERINHO, ZERINHO – Sem noção. A criatura desorientada mantém por 15 anos colados no pára-brisa do automóvel, aqueles selos de controle de qualidade, para fingir que comprou o carro “zero quilômetro”.

12. VIAJANDO DE AVIÃO – Quando viaja de avião, pela Gol, com passagem financiada em 15 vezes sem juros, põe no bolso aquelas pavorosas barrinhas de cereais pra dar pros filhos bixiguentos.

13. STROGONOFF – Se você perguntar a alguém qual é o prato favorito e a criatura responder “istrogonofi” pode ter certeza é pobre! E o pior é que o infeliz não tem a mínima ideia de como se faz tal iguaria, pois pobre faz um picadinho meia-boca (geralmente com acém), coloca creme de leite e tá pronto!

14. VIAJAR PARA CABO FRIO ou GUARAPARI – Quem tem grana vai logo é pra Nova York, Paris, Búzios, Fernando de Noronha. Rico no máximo passa por essa miséria, por cima… e de avião!

15. COMPRAR CHINELÃO RIDER E ROUPA À CREDIÁRIO NA C&A – Fala sério! Só por que a Gisele Bündchen e a Dalinela Sarahyba apareceram na TV, você acha que tá comprando artigo de rico? É artigo de pobre! Quase o fundo do poço, pois o fundo fica na Sulanca, lá em Pernambuco.

16. BAIXAR FILME NA INTERNET – A porra do computador fica noites e noites inteiras ligado, baixando filmes… Além de pobre é burro. Você acha que a energia elétrica é de graça? Aluga a merda do filme no Blockbuster que fica mais barato, otário!

17. USAR CAMISA DE TIME NA SEGUNDA FEIRA – Putz, que nojeira! Usar a camisa do Flamengo ou do Corinthians na segunda feira, só pra zoar a galera do trabalho, é típico de quem mora no subúrbio ou… sorry, na periferia!

18. CAMA BELICHE – Móvel típico dos pobres, que se reproduzem feito ratos e têm que dormir em algum lugar, uns em cima dos outros. Rico tem no máximo dois filhos. E cada um tem a sua própria suíte.

19. VOU DE MERCEDES PRO TRABALHO – Com certeza, o pobre que solta essa pérola está se referindo ao ônibus… Quem tem Mercedes, não fala que tem (280, 500, CLK…). Quem tem, tem até medo de falar…

20. LAJE – Tem palavra que mais denota a pobreza do que essa? Por favor, se sua casa ainda não está pronta, seja mais refinado e diga: “meu imóvel está na estrutura básica” ou simplesmente “ainda não está pronta”. Jamais diga: “está na laje!”. Além do quê, laje (argh!) lembra palavras como garage(!), mirage(!) ou viaje(!), que, quando ditas desta forma, meu amigo, é porque a coisa tá muito feia pro seu lado.

21. SAMANTHA, MELLANIE, MERY, STEPHANIE, JENNIFFER, CAMILLE, GRACE KELLY, SUELLEN e YASMINE – Sacanagem com a criança! Botar esses nomes é muito pobre e brega! Põe logo um nome simples de todo mundo falar! O que há de errado com os mais simples como: Maria, Ana, Gabriela etc? Se você está pensando em colocar um desses nomes na bixiguenta que ainda está na sua barriga, pelo menos não será preciso trocar de nome se ela virar prostituta.

22. POBREMA, PLOBLEMA, ADEVOGADO, IORGUTE, TÁUBA, RESISTRO, IMPIM, MORTANDELA, MINDINGO, TÓCHICO, CHALCHICHA, BERRUGA, IMBIGO, FRAMENGO, CURÍNTCHA, BICICRETA, DI MENOR, MENAS (essa é de matar), LARGATIXA, DAR UMA TELEFONEMA, PRA MIM FAZER… – Palavras mais utilizadas e daí vemos… é pobre! Se não é pobre, é ignorante, porque todo mundo pode aprender que não é “menas”, é “menos”; que não é “resistro”, é “registro”; que não é “impim”, é “aipim”; que você vai “saltar” no próximo ponto, não “soltar”! Pedir para essas pessoas falarem palavras simples como “sobrancelha”, “cabeleireiro”, “paralelepípedo”, ou “helicóptero”, é uma afronta. Até porque não repetem a última sílaba mesmo. Fica qualquer coisa como “helicópi”, “paralelepípo”, etc… Sem contar que nomes como “Wellington”, “Washington”, “Wilson” e “Milton” se transformam em “Uélitu”, “Uóchintu”, “Uílso” e “Miltu”… Camões se revira no túmulo a cada vez que ouve.

23. SHORTINHO COM TOP – Ah, esse então é praticamente o uniforme de pobre. Se fizer calor use uma toalhinha para enxugar o suor, de preferência combinando com a cor do top. Mas se estiver frio, é só colocar uma jaquetinha por cima e pronto, você vai arrasar em qualquer evento de pobre!

24. CHAMAR O AMASIADO DE “MÔ”, “MÔÔÔ…” – Fala sério! Fica parecendo vaca mugindo. E o coitado ainda tem que fazer cara de que gosta senão a mulher sai na porrada com o sujeito. Coisa de mulherzinha… pobre, é claro!

25. NO FIM DO ANO, COM O 13º SALÁRIO – Essa é clássica e… muito phod@. No restaurante, a família toda reunida, um dos mais salientes entra correndo, vai logo escolhendo o canto e grita pra toda a prole que está acabando de entrar: “Vamo imendá as mesa!!!”

* * *

Renata de Oliveira Castro — e aí, colega, blz? — é um doce de mineira, nascida em São João Nepomuceno, onde vive; caçula e mais bem-humorada entre as cinco irmãs que aparecem na imagem que ilustra o post, incluindo a já famosa e sisuda blogueira Nívia, uma cachaceira (última à direita, sorrindo a contragosto), nossa ilustre parceira da blogosfera progressista.

5 comentários em “Pobreza mental que se manifesta em todas as classes sociais

  • 11 de fevereiro de 2011 em 17:31
    Permalink

    Eu conheço todas as moças da foto porque são da cidade aonde eu nasci e me criei até vir embora para ca viver e trabalhar. Eu fui aluno da Profa. Flavia que é quem está de lenço amarelo e blusa azul clara quando eu ainda morava em SJNepomuceno e quando ela foi a melhor Profa. que eu já tive ate hoje. E as irmãs dela tambem são tudo gente da melhor qualidade. E eu fiquei muito espantado de ver elas na foto de um e-mail que eu recebi do meu irmão que ainda mora lá e isso me deu muitas saudades da minha terra e dos meus amigos. Obrigado. Geraldo José – Ubá – MG

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2011 em 22:43
    Permalink

    Você é mesmo terrível, Songamonga. Vou matar alguém pela indiscrição, por vazar a foto e nos pregar essa peça.

    A título de esclarecimento, já que não tem mais volta e, se caiu na rede… é peixe: essa fotografia foi feita numa “festa brega” organizada na roça faz um certo tempo. Naturalmente — deixa eu aproveitar para fazer um merchan aqui — regada a Cachaça Araci, safra de 1967.

    Então, pelamordedeus, vamos dar um desconto na breguice da imagem, por sinal muito gozada com esses balõezinhos. E com razão, admito, pois minha natureza é mesmo meio ranzinza… rsrs.

    Resposta
  • 9 de fevereiro de 2011 em 00:23
    Permalink

    Huuuummmm…
    Eita lasqueira!
    Debaixo dos “panos” coloridos tem 5 jóias priciosas (todas mineiras?). Gulp!
    A Renata é a mais gata.
    Nóssinhóra… :oP

    Resposta
    • 9 de fevereiro de 2011 em 09:36
      Permalink

      Concordo, ela é muito “miau” mesmo. E, pelo visto, bem cheirosinha.

      Resposta
    • 10 de fevereiro de 2011 em 15:18
      Permalink

      Eu bem que dava um CHEIRO gotoso naquele pescoço.

      Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: