Plantas congeladas há mais de 500 anos voltam a desabrochar

ACORDANDO APÓS HIBERNAR MEIO MILÊNIO

Plantas da Idade do Gelo

Imagine um ser vivo despertando do sono mais de meio milênio depois de ter passado por um profundo período de hibernação sob toneladas de gelo polar.

Aconteceu com quatro espécies vegetais da Pequena Idade do Gelo, ressuscitadas em laboratório através de culturas feitas com material biológico original.

As amostras em “perfeito estado de conservação” foram recolhidas por duas biólogas depois de um glaciar ter recuado no Arquipélago Ártico Canadense.

Catherine La Farge, professora da Faculdade de Ciências da Universidade de Alberta, no Canadá, e a sua aluna Krista Williams, conseguiram assim provar que, ao contrário do que se pensou até agora, as plantas que reaparecem depois de os glaceares derreterem não estão mortas, mas adormecidas.

De acordo com um comunicado da Universidade de Alberta, as investigadoras recorreram à datação de carbono para confirmar a idade das plantas briófitas — espécies primitivas, como o musgo.

Elas descobriram que os vegetais ficaram “soterrados” por um glaciar no período entre 1550 e 1850.

Plantas ressuscitadas

O que mais surpreendeu a equipe foi o fato de, além de se encontrarem intactas e em perfeitas condições, estas plantinhas terem voltado a crescer, desenvolvendo novos caules ou pequenos ramos na sequência do degelo.

“Qualquer célula das plantas briófitas consegue ‘reprogramar-se’ e dar início ao desenvolvimento de uma planta inteiramente nova”.

Catherine La Farge acrescenta que estas plantas, “simples e eficientes” e que existem “há mais de 400 milhões de anos”, desenvolveram uma biologia única que lhes dá uma “resiliência ótima”.

“Este achado enfatiza a importância de efetuar investigações que ajudem a compreender o mundo natural, em especial se considerarmos que ainda sabemos muito pouco sobre este tipo de ecossistemas”, conclui.

Completo em Boas Notícias

Deixe um comentário simpático neste artigo: